Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

08/12/2017 às 19:02

Abraji completa 15 anos e divulga data e local de Congresso em 2018

Escrito por: Redação
Fonte: Portal Imprensa

A Abraji, Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo, completou 15 anos nesta quinta-feira (7) e fez um balanço sobre as atividades realizadas pela entidade desde 2002. A associação nasceu na esteira do assassinato do jornalista Tim Lopes, da TV Globo.
 
or meio de nota, a Abraji afirmou que “a semente que sua morte plantou não só alertou a imprensa brasileira para os perigos que se abatem sobre quem exerce o jornalismo no país como gerou, em contrapartida, um movimento de união e resistência entre seus colegas de profissão”.
 
Em 15 anos, a Abraji ampliou sua presença no país por meio de oficinas de jornalismo de dados e de Lei de Acesso à Informação. Os cursos oferecidos pela associação foram levados a Manaus, Recife, Porto Alegre e Londrina, treinando dezenas de jornalistas. 
 
Thiago Herdy, jornalista do O Globo, que encerra no fim deste ano o mandato como presidente da associação, espera que a Abraji alcance sua sustentabilidade por meio de um fundo patrimonial (ou endowment) que lhe dê independência e torne seu funcionamento perene. “O fundo, que está em fase de regulamentação, pode financiar novos projetos e garantir à organização segurança para manter os que já tem”, aponta. “O jornalismo de qualidade é uma demanda cada vez maior da sociedade, contexto que favorece a defesa dos valores fundamentais da nossa atividade, a reflexão constante sobre o que estamos fazendo e o consequente amadurecimento da nossa imprensa”, afirma. 
 
O jornalista e diretor do Centro Knight, Rosental Calmon Alves, acrescenta que os desafios dos próximos quinze anos da associação serão muito maiores do que nos últimos. “A credibilidade e os modelos de negócios dos jornais estão sendo atacados de maneira nunca vista, em muitos lugares”, diz. “Acho que, nos próximos anos, vamos ver como é bom que o Brasil tenha uma organização como a Abraji, que tem interesse em melhorar a qualidade do jornalismo no país.”
 
Para Marcelo Beraba, presidente da Abraji entre 2003 e 2007, a entidade também deve dar mais atenção às novas plataformas e iniciativas jornalísticas, indo além do espaço já oferecido nos Congressos. “Temos que ajudá-las a crescer e atingir novos padrões de qualidade, e apoiá-las quando sofrerem”, diz. 
 
Uma ação desse tipo foi desenhada neste ano por meio do projeto “Jornalismo e periferias”, em que jornalistas profissionais convidados pela Abraji realizam treinamentos sobre técnicas e ferramentas de investigação com comunicadores das periferias e favelas em diversas capitais do Brasil. Angelina Nunes, presidente no biênio 2008-2009, é uma das instrutoras do projeto, junto com Beraba. “Uma experiência incrível de troca de vivência e prática de jornalismo nas comunidades”, ela conta. 
 
“A Abraji criou pilares muito sólidos, nos quais ela pode construir uma fortaleza ainda maior de uma organização aberta, transparente e democrática”, afirma Rosental Calmon Alves. “Desejo sucesso para que, nos próximos anos, a associação continue dando a contribuição que deu até hoje para o jornalismo no Brasil.”
 
Congresso anual
 
Realizado anualmente desde 2005, o Congresso da Abraji é o maior encontro de jornalistas do país. Sua programação inclui painéis sobre técnicas de reportagem, novas iniciativas jornalísticas e temas relevantes na pauta cotidiana da imprensa brasileira e internacional. 
 
O 13.º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo será realizado pela Abraji de 28 a 30 de junho de 2018, em São Paulo. Como nas últimas edições, a Universidade Anhembi Morumbi receberá o evento em seu campus Vila Olímpia (Rua Casa do Ator, 75). 
 
Na edição de 2017, o evento reuniu 977 participantes e mais de 150 painelistas, que debateram temas como cobertura política, corrupção, diversidade nas redações, jornalismo de dados, acesso à informação e bastidores de reportagens premiadas. Foram mais de 70 atividades entre palestras, oficinas e rodas de conversa.