Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

19/01/2018 às 19:49

Abraji condena agressão a repórter fotográfico que cobria ato em São Paulo

Escrito por: Redação
Fonte: Portal Imprensa

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) repudiou a agressão sofrida pelo cinegrafista freelancer Caio Castor, da agência da Pavio, que acompanhava um protesto contra o aumento das passagens do transporte público em São Paulo, na última quarta-feira (17), que teve sua câmera apreendida e quebrada por um policial militar.
 
“A Abraji condena este novo ato violento da Polícia Militar de São Paulo contra a imprensa. Desde junho de 2013, quando se intensificaram os protestos em todo o país, corporações de diferente estados têm atacado jornalistas sem justificativa. É necessário e urgente que o Governo do Estado assuma a responsabilidade pela violação contra Caio Castor e mude a orientação da corporação, bem como puna o agente que destruiu a câmera. Defender a liberdade de imprensa é dever do Estado numa democracia”, expressou a entidade em nota divulgada à imprensa.
 
 
O caso ocorreu na Rua Eugênio de Medeiros, próximo ao à estação Pinheiros do metrô. Caio publicou publicou um vídeo no Facebook do momento da ação, onde é possível ver um policial com a câmera já destruída na mão, enquanto o cinegrafista levanta-se do chão do lado oposto. Segundo ele, abordagem ocorreu quando o cinegrafista filmava o espancamento de um manifestante. Um PM pegou a câmera da sua mão e começou a batê-la contra o chão. “Quando eu fui tentar pegar de volta, outro policial me deu um mata-leão”, contou o jornalista, que não conseguiu ler a identificação do policial que quebrou sua câmera, mas fotografou o código (M47019-11) de uma das motos do grupo de PMs que realizou a ação.
 
 
A equipe da Pavio, agência de videorreportagem autônoma focada em pautas sobre violações de direitos e mobilizações sociais onde Caio está trabalhando, está organizando uma vaquinha online para ajudar o profissional a adquirir um novo equipamento.