Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

18/06/2008 às 12:03

Abril volta a atacar a Sky, e abre sua proposta comercial

Escrito por: Redação
Fonte: TeleSíntese

Em outro lance do debate entre a operadora Sky e o canal pertencente ao grupo Abril, MTV Brasil, este último divulgou hoje comunicado à imprensa no qual destaca que ofereceu proposta a Sky “com valores de mercado menores do que os praticados com os demais operadores e que coloca mais opções à mesa de negócios e certamente mais opções ao assinante de TV paga brasileiro. Este comunicado segue outro publicado ontem pela Sky, em resposta a matéria veiculada neste final de semana na revista Veja, do Grupo Abril, na qual a Sky, após retirar o canal de sua grade de programação, é acusada de querer determinar arbitrariamente o que o público brasileiro pode ver na televisão.

A Sky alegou que a oferta da MTV poderia “quadruplicar os custos” do canal na programação. A proposta divulgada hoje pela MTV Brasil consistia em reajustar o preço médio do canal de R$ 0,43 para R$ 0,52 por assinante, sendo que o aumento de R$ 0,09 por assinante seria devolvido à Sky na forma de anúncios no canal. Segundo a MTV, os canais Fiz e Ideal, “foram ofertados gratuitamente durante os 90 primeiros dias.” Após este período, por R$ 0,44 por assinante, com “100% do valor pago pela Sky, durante 18 meses, seria devolvido na forma de anúncios da operadora nas revistas da Editora Abril.”

 A MTV ainda nega no informe o comunicado da Sky e levanta suspeitas sobre os motivos que levaram a operadora a retirar o canal de sua grade de programação. “Diferentemente do que diz o comunicado publicado pela Sky, essa é a melhor proposta apresentada pelos Canais Abril de Televisão.”  O comunicado da Abril considera importante refletir “se a recusa dessa proposta e o consequente corte do sinal da MTV está de fato defendendo os interesses econômicos dos assinantes da Sky, ou se está defendendo interesses de outros grupos econômicos e que querem impedir o surgimento de novos canais nacionais.” Em tempo: o comunicado destaca que a Net Brasil, empresa do grupo Globo, que negocia contratos da programação nacional para Net e Sky foi a responsável pela não-renovação do contrato da MTV Brasil.