Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

10/12/2014 às 07:06

Ancine pode limitar a ocupação de salas de cinema por um único filme

Escrito por: Redação
Fonte: Folha de São Paulo - Impressa

Reunião hoje decide proposta de teto para grandes lançamentos

A reunião da câmara técnica, que abriga representantes de diversos setores da cadeia cinematográfica, ocorre em meio à polêmica do lançamento de "Jogos Vorazes: A Esperança - Parte 1". Em sua estreia, o filme ocupou quase metade dos cinemas do país.

Conforme antecipado pela Folha, em novembro, o presidente da Ancine, Manoel Rangel, classifica como "predatório" esse tipo de lançamento.

"O espectador que encontrar apenas um título em quase 50% das salas desiste. É menos ingresso sendo vendido e redução do hábito do cinema", disse Rangel na ocasião.

Uma das propostas aventadas pelo órgão regulatório é estabelecer uma teto de exibição por complexo de cinema, tal como ocorre na França.

Dono do Cine Belas Artes, dedicado a uma produção mais autoral, e integrante da câmara técnica, André Sturm defende um limite ao número de salas exibindo o mesmo filme em cada complexo. "Não acho que tenhamos que limitar o número total de cópias em exibição no país, mas o quanto ocupam por cinema."

Segundo ele, a maioria dos membros da câmara técnica concorda com a necessidade de um teto por complexo. "Compreendem essa necessidade. O que falta é definir qual seria essa porcentagem ideal."

Marcio Fraccaroli, diretor geral da Paris Filmes, distribuidora de "Jogos Vorazes", se diz favorável a uma autorregulamentação no tema.

"Sem precisar do governo", diz ele, que também estará na reunião. "O problema e que temos poucas salas. Deveríamos encontrar uma forma de crescer o parque exibidor.\