Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

24/07/2014 às 13:41

Ao regular ofertas de atacado, Anatel volta à fronteira entre telecom e Internet

Escrito por: Redação
Fonte: Convergência Digital

Em menos de um ano de implantação, a Anatel festeja pelo feitos importantes de seu sistema de negociação de ofertas de atacado, a plataforma eletrônica de "compra" e "venda" de acesso a redes de telecomunicações. Em especial, a queda de 60% nos preços dos "links" de Internet.

"Houve uma redução considerável de preços e percebemos que esse serviço precisa ser um alvo, inclusive na política de massificação da banda larga. Esse é o insumo que os provedores regionais compram para prestar serviço lá na ponta", diz o superintendente de Competição da Anatel, Carlos Baigorri.

Segundo ele, o preço médio de 1 Mbps caiu de R$ 255 para R$ 96. O movimento, explica, se deve ao foco nos chamados contratos de interligação neste novo ciclo de homologações de ofertas de atacado, o que acontece a cada seis meses. As novas homologações foram publicadas nesta terça, 15/7, no Diário Oficial.

É um movimento significativo - ainda que os melhores efeitos sejam em São Paulo, onde os valores da Telefônica vão para a casa dos R$ 61. A Oi, cujas ofertas de interligação não foram homologadas, exigiu intervenção da Anatel e, ainda assim, os preços ficaram na casa dos R$ 120.

Além disso, como ressalta o presidente do conselho da Abranet, Eduardo Parajo, a Anatel volta a se aproximar da fronteira entre telecomunicações e Internet. É que a agência inclui nas ofertas do SNOA o que trata de 'interligação com conexão IP'. Além de misturar "alhos com bugalhos" alega, facilita manipulações de preços.

"O SNOA é importante. Mas tem que separar as coisas. As ofertas tem que se concentrar nos links de alta capacidade ponto a ponto, para não termos distorções de encontrar preços de varejo menores que preços que estão no SNOA de atacado. Senão, o atacado morre. Misturar IP nisso vai gerar mais distorções", diz Parajo.

Tais distorções, explica, são facilitadas com a combinação de um outro serviço - a conexão IP, que pode ser suficientemente competitiva sem intervenção do regulador. "Se não focarmos nas ofertas de enlace ponto a ponto, a um preço relativamente agressivo e de atacado, é difícil que agência chegue no objetivo de preço de países desenvolvidos. Estamos em R$ 60 como menor preço. Como chegar a US$ 1?".

O superintendente de Competição da Anatel, Carlos Baigorri, e o presidente do conselho da Abranet, Eduardo Parajo, participaram de evento promovido pela Momento Editorial, em Brasília, para discutir a plataforma SNOA. Assistam a participação deles na CDTV, do portal Convergência Digital.