Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

08/11/2017 às 18:23

Após boicote, jornais dos EUA reatam com Disney

Escrito por: Redação
Fonte: Portal Imprensa

Alguns veículos de comunicação dos EUA decidiram boicotar a cobertura dos filmes da Disney após a empresa banir o “Los Angeles Times” de suas cabines de imprensa por conta de uma matéria do jornal que investigava as relações comerciais do conglomerado com a cidade de Anaheim, na Califórnia.
 
A reportagem “Is Disney paying its share in Anaheim?”, de Daniel Miller, indica que a empresa pagaria apenas US$ 1 por ano de imposto territorial sobre um terreno público transformado em estacionamento em seu parque na Califórnia. A situação seria a base de uma série de disputas financeiras entre o conglomerado e a cidade de Anaheim, que tem seu orçamento reduzido e que teria no parque parte de sua fonte de arrecadação.
 
Após a publicação, a Disney anunciou que deixaria o jornal de fora de todos os eventos e cabines de imprensa, alegando que o artigo foi tendencioso, “deixando de lado os padrões jornalísticos básicos”. 
 
O primeiro veículo a se posicionar foi o “The Washington Post”, anunciando que deixaria de cobrir as estreias da Disney enquanto o “LA Times” estivesse banido das sessões de imprensa. “The A.V. Club”, o “The Boston Globe” e o “Flavorwire” também abraçaram o boicote. 
 
“Enquanto a Disney barrar o ‘Los Angeles Times’, esse veículo não vai dar a única coisa de valor que pode oferecer ao estúdio: a publicidade gratuita de seus filmes feita por meio de críticas, análises de trailers, anúncios de produções e rumores de elenco. Não vamos cobrir os lançamentos da Disney e nem das subsidiárias Marvel e Lucasfilm (não, nem mesmo essa) enquanto o ‘Times’ estiver banido”, anunciou o editor Jason Bailey, do Flavorwire.
 
Em comunicado enviado aos órgãos de comunicação social, a Associação de Críticos de Cinema de Los Angeles, o Círculo de Críticos de Cinema de Nova Iorque, a Sociedade de Críticos de Cinema de Boston e a Sociedade Nacional de Críticos de Cinema dão conta desta tomada de decisão, votada pelos seus membros, que visa tomar uma posição quanto à liberdade de imprensa e forçar a multinacional a voltar atrás.
 
“As atitudes da Disney, que incluem um boicote a qualquer interação com o ‘The Times’, são antiéticas no que respeita aos princípios de uma imprensa livre e abre um perigoso precedente num período já de grande hostilidade para com os jornalistas”, diz o comunicado conjunto.
 
Segundo as instituições, trata-se de "uma situação extraordinária, a de grupos de críticos tomarem medidas que possam penalizar artistas por decisões que estão além do seu controle, mas foi a Disney quem forçou esta situação quando escolheu castigar os jornalistas do ‘The Times’, em vez de manifestar o seu desagrado pela notícia publicada, usando a via da discussão pública", acrescentam.
 
Os críticos terminam sublinhando que "a resposta da Disney deve preocupar seriamente todos aqueles que acreditam na importância da liberdade de imprensa, incluindo os artistas".
 
No final da tarde de terça-feira (7), a Disney se manifestou e afirmou reatar a parceria com o veículo. “Tivemos discussões produtivas com a nova liderança do ‘L.A. Times’ sobre nossas preocupações e concordamos em restaurar o acesso deles em cabines de imprensa de nossos filmes”, afirmou.