Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

17/01/2014 às 08:38

Após seis anos, cinema brasileiro volta ao Festival Internacional de Berlim

Escrito por: Rui Martins
Fonte: Brasil de Fato

De Berlim (Alemanha)

Depois de uma ausência de seis anos, o cinema brasileiro foi novamente selecionado para a competição no Festival Internacional de Berlim que, neste ano, acontece de 6 a 16 de fevereiro.

Trata-se do filme Praia do Futuro, de Karim Ainouz, rodado em Fortaleza, Berlim e no Mar do Norte. O filme narra a história de um cearense que se torna emigrante brasileiro na Alemanha, para onde foi levado por uma paixão por um alemão com o qual, no início, se comunicava só por sinais, mas que o levou a dominar o idioma quando viviam em Berlim.

Como ocorre com muitos emigrantes, o personagem do filme de Karim, de nome Donato, decide começar vida nova no estrangeiro, rompendo com seu passado e mesmo com sua família, para a qual não envia nenhuma carta e nenhuma mensagem. Porém, deixou sua imagem de um ótimo nadador, como salva-vidas, na Praia do Futuro, um bairro de Fortaleza, construído com o objetivo de se tornar uma atração turística, mas que o excesso de salinidade no ar levou ao fracasso.

Essa imagem ficou gravada na memória do irmão mais novo, Ayrton, que, oito anos depois da partida e desaparecimento de Donato, aprende rudimentos da língua alemã e vai à Alemanha à sua busca. O encontro ocorrer numa outra praia, de Hamburgo, fria e cinzenta, bem diferente da praia cearense quente e colorida.

O diretor Karim Ainouz, que vive atualmente em Berlim, considera seu filme uma homenagem à cidade e vê algumas comparações entre uma praia turística que se pretendeu construir e uma cidade destruída que se reconstruiu. Para ele, seus personagens são homens fortes e heróis, dotados da coragem de tirar sua máscara, superar obstáculos e viver a vida.

São atores do longa-metragem, Wagner Moura (Donato), Clemens Schick (Conrad) e o estreante Jesuita Barbosa (Ayrton).

Outros filmes brasileiros também estão em Berlim. Na mostra Panorama, por exemplo, está o Homem das Multidões, de Cao Guimarães com Marcelo Gomes; e Hoje eu quero voltar sozinho, de Daniel Ribeiro.