Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

24/05/2017 às 19:54

Associações de imprensa condenam quebra de sigilo do jornalista Reinaldo Azevedo

Escrito por: Redação
Fonte: Portal Imprensa

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) e a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) emitiram nota nesta quarta-feira (24) condenando a divulgação, pelo Supremo Tribunal Federal (STF), de conversa entre o jornalista Reinaldo Azevedo e Andrea Neves, irmã do senador Aécio Neves (PSDB-MG). Andrea, que está presa, e Aécio são investigados no âmbito das delações da JBS.
 
"A Abraji considera que a apuração de um crime não pode servir de pretexto para a violação da lei, nem para o atropelo de direitos fundamentais como a proteção ao sigilo da fonte, garantido pela Constituição Federal", diz a nota. A ABI também considera que foi violado o sigilo da fonte e de que foi cometida uma grave ofensa contra a liberdade de imprensa. 
 
O diálogo foi publicado pelo site BuzzFeed. De acordo com a reportagem, Andrea e Azevedo conversaram em 13 de abril após a divulgação das delações da Odebrecht. O jornalista anunciou demissão da revista Veja e afirmou em vídeo no Facebook que foi vítima  de uma violação de direito constitucional e já contratou advogado. 
 
Em nota, o ministro do STF Gilmar Mendes afirmou que a divulgação da conversa é um "ataque à liberdade de imprensa e ao direito constitucional de sigilo da fonte" e alertou que "está se desenhando no Brasil um estado policial". O também ministro Celso de Mello, em reportagem do G1, também defendeu o direito de jornalistas não terem divulgadas conversas com seus interlocutores.
 
Também em nota divulgada nesta quarta-feira, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, também criticou a divulgação e afirmou que "não se pode combater o crime cometendo outro crime”.