Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

18/06/2012 às 08:32

Banda amazonense Malbec divulga primeiro álbum na internet

Escrito por: Mônica Dias
Fonte: G1

Após quase dois anos no forno, ‘Paranormal Songs’, o primeiro álbum da banda amazonense Malbec, foi lançado na última quinta-feira (13). O quinteto deixou as 11 faixas do disco disponíveis para download gratuito nos formatos mp3, flac e wav no site oficial e já está programando as atividades de divulgação, como show de lançamento do CD e do Vinil, que serão lançados no início de julho.

A banda existe desde 2008 e sempre focou no trabalho autoral, buscando inspiração em bandas como Radiohead, Beatles, Beach Boys e Mutantes, montando composições dentro do rock alternativo. A formação atual conta com Ian Fonseca nos vocais, teclado , baixo e percussão, Zé Cardoso, Leo Garcia e Silvio Romano nas guitarras e Natan Fonseca na bateria.

Para os integrantes, o importante nesse primeiro álbum foi compor livremente, sem se prender a estilos definidos. "O nome do álbum é 'Paranormal Songs' justamente porque percebemos que cada música parecia vir de um lugar diferente das outras. É como se nós fôssemos uma banda para cada faixa. O momento em que a banda vive é esse, onde o objetivo é servir às canções, sem tentar transformá-las em algo monocórdio, com uma suposta 'cara da banda'", explicou o vocalista Ian Fonseca.

Após o lançamento na Internet, Ian disse que a banda se prepara para os novos desafios. "O retorno de Manaus e do país inteiro tem sido ótimo, e isso nos estimula demais. A idéia é que daqui pra frente a agenda permita que mostremos o álbum enfaticamente em shows por Manaus e pelo Brasil inteiro, especialmente pelo Sudeste. Ainda estamos planejando uma data para o show de lançamento, mas é bem provável que no próximo mês já apresentemos esse novo formato de show para o público".

Gravando o álbum

O grupo já tinha gravado um EP em 2009 e resolveu investir pesado para conseguir gravar um álbum. A banda conseguiu os recursos vencendo nos editais da Secretaria de Cultura, da Fundação Municipal de Cultural e Artes (ManausCult) e outro do Ministério da Cultura. O processo de gravação durou, aproximadamente, dois anos de muito trabalho e determinação.
saiba mais

Bandas amazonenses concorrem para tocar em festival de rock em SP
Grupo realiza festas de diferentes estilos a cada final de semana, no AM
Banda amazonense Mezatrio disputa vaga para tocar em festival no Rio

O disco foi mixado por Victor Rice, novaiorquino que trabalha no Brasil há 8 anos com artistas como Easy All-Stars, Marcelo Camelo e Mallu Magalhães, no Estúdio El Rocha, em São Paulo, e foi masterizado por Joe Lambert, que já trabalhou com Animal Collective, Panda Bear, The National, entre outros, no Joe Lambert Mastering, Nova York.

De acordo com Ian, o disco trata de assuntos distintos, passando por faixas reflexivas sobre crença, como 'Relógio da Torre', a declarações de incompatibilidade de gênios, como o single 'Calo', entre outros assuntos desconexos. "O disco é uma polaróide do momento que os integrantes vivem, e, como a nossa vida não é feita de um único assunto, o disco é, também, marcado por esse disparate", ressaltou.

Quando questionado sobre o resultado do trabalho, Ian responde que foi uma mistura de emoções. "Alívio, alegria, esperança e um monte de outros sentimentos misturados no liquidificador. Por sentirmos que o disco estava bem representado e soando do jeito que imaginávamos que ele deveria, não tinhamos mais do que reclamar. Saber, em poucos dias depois do lançamento, que ele tem caído no gosto de muitos é uma sensação nova e estimulante para nós", declarou.