Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

24/06/2015 às 16:14

Banda Larga Fixa no Brasil tem 3,4 Mbps de velocidade média

Escrito por: Redação
Fonte: Tele.síntese

O país melhorou sua performance em 13% em relação ao trimestre anterior, mas manteve a 89ª posição em um ranking mundial montado pela empresa Akamai. Já a velocidade média da internet móvel brasileira é quase três vezes menor que a obtida na Venezuela

A velocidade média da conexão à internet no Brasil é de 3,4 Mbps. O país melhorou sua performance em 13% em relação ao trimestre anterior, mas manteve a 89ª posição em um ranking mundial montado pela empresa Akamai. Se comparado ao mesmo período no ano anterior, a velocidade média da banda larga nacional cresceu 29%. Na América Latina, a velocidade média de conexão variou de 6,7 Mbps, no Uruguai, a 1,4 Mbps, no Paraguai. No ranking global, os países estão na 51ª e 137ª colocação, respectivamente. O estudo considera banda larga apenas velocidades acima de 4 Mbps.
 
Entre janeiro e março de 2015, a média global de velocidade de conexão manteve-se superior à considerada “banda larga” (4 Mbps), com 5 Mbps, e apresentou crescimento de 10% em relação aos três meses anteriores. A Coréia do Sul manteve-se em primeiro lugar no ranking – que conta com 144 países/regiões – com 23,6 Mbps e crescimento de 6,3%. Em termos de crescimento, o maior índice foi apresentado pela Irlanda, com 37% e 17,4 Mbps. No comparativo ano a ano, 134 dos países/regiões qualificados para o ranking apresentaram aumento de velocidade média de conexão, variando de 4% no Japão a 181% em Fiji.
 
No que diz respeito aos picos de conexão, também houve um crescimento (8,2%) na média global, que foi de 29,1 Mbps. Cingapura está em primeiro lugar, com pico de 98,5 Mbps, mas Kuwait apresentou maior crescimento de 126%, alcançando 76,5 Mbps.
 
Em relação à média de picos de conexão, o Brasil registrou 24,2 Mbps, aumento trimestral de 10% e de 35% em relação ao último ano. Assim, o país subiu da 84ª para a 82ª posição no ranking global de picos de conexão. Na América Latina, os picos do trimestre variaram de 51,3 Mbps no Uruguai a 10,7 Mbps na Venezuela, regiões que ficaram nas posições 28ª e 134ª neste ranking, respectivamente.
 
O relatório verificou que, nas Américas, dez países têm mais de 25 mil endereços IP conectados à Akamai com velocidade superior a 10 Mbps (alta banda larga). Dentre eles estão: EUA (com taxa de adoção de 44%), Canadá (44%), Uruguai (17%), Chile (9,1%), Argentina (7,1%), Colômbia (4,7%), México (4,7%), Equador (3,3%), Peru (2,5%) e Brasil (2,2%).
 
Em relação às conexões de banda larga (entre 4 Mbps e 10 Mbps), destacam-se Canadá e EUA, com 87% e 76%, respectivamente. Dentre os outros países que se encaixam no perfil analisado, a adoção varia de 62%, no Chile, a 2,1% na Venezuela. O Brasil apresenta adoção de 31%, crescimento de 17% em relação ao último trimestre e crescimento de 45% se comparado ao mesmo período do ano anterior.
 
Conectividade Móvel
No primeiro trimestre de 2015, a Akamai analisou a conectividade móvel de 62 países/regiões. O Reino Unido apresentou a velocidade de conexão média mais rápida de 20,4 Mbps, um aumento de 28% em relação ao trimestre anterior. A Dinamarca manteve-se em segundo lugar, com 10 Mbps. O Vietnã apresentou a velocidade de conexão média mais baixa, 1,3 Mbps. Na América do Sul, a Venezuela apresentou a maior velocidade, com média de 7 Mbps, e o Brasil registrou média de 2,5 Mbps.
 
No que diz respeito à média de picos de conexão, a Austrália atingiu o maior número do período, com 149,3 Mbps. O Brasil registrou, no período, 20,7 Mbps e, na América do Sul, o maior pico ficou por conta do Uruguai, com 32 Mbps. Em relação à adoção de banda larga móvel (> 4 Mbps), o Dinamarca tive a maior taxa, 98%, enquanto Vietnã, Irã, Cazaquistão e Bolívia tiveram taxa menor que 1%. Na América do Sul, a Venezuela destacou-se com 97%.
 
Penetração Global de Internet
O estudo registrou pequeno crescimento na contagem global de endereços de IP únicos, com aumento de 1,2% quando comparado ao último trimestre e 2,1% mesmo período do ano anterior. Dos Top 10 países/regiões considerados no levantamento, apenas a Alemanha, a Itália e a Rússia, apresentaram queda de 6,7%, 3,4% e 0,3%, respectivamente, em relação ao trimestre anterior. O Reino Unido e Japão apresentaram crescimento de 5,7% e 5,1%, respectivamente.
 
O Brasil mantém a terceira posição em volume de IPs conectados à Akamai, com 48.167.070 endereços no período. Ainda, apresentou o índice de crescimento no trimestre de 1,9% e 17% no último período um ano, sendo o único dentre os top 10 que apresentou aumento de dois dígitos.
 
Quanto à adoção do IPv6, a Bélgica manteve sua liderança na adoção, com 33% de suas conexões à Akamai. Os dois únicos países não europeus entre os Top 10 de adoção foram os EUA e Peru, sendo 14% e 13%, respectivamente.
 
Os dados fazem parte do estudo State of the Internet, referente ao primeiro trimestre de 2015. O material analisa os 243 países/regiões conectados à plataforma Akamai no trimestre – o que representa mais de 812 milhões de endereços IPv4 únicos – e, para os rankings, considera os que tenham mais de 25 mil endereços.