Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

14/08/2015 às 15:03

Blog com 'dicas' para estuprar alunas causa revolta na USP; diretor denuncia à polícia

Escrito por: Redação
Fonte: Portal Imprensa

Um blog denominado "Tio Astolfo" tem gerado polêmicas e causou revolta entre alunos, professores e diretores da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH – USP) ao publicar um "passo a passo" de como estuprar uma mulher dentro da universidade pública. 
 
Segundo o UOL, o texto intitulado "Como estuprar uma mulher na USP FFLCH: O Guia definitivo" traz dicas para os estudantes da Escola Politécnica – direcionada aos cursos de engenharia da USP – de como estuprar alunas do campus de filosofia, letras e ciências humanas, chamadas de "vadias" pelo autor do blog. 
 
O "Tio Astolfo" ainda ressalta que os alunos da Poli-USP, definidos como "sujeitos ALPHA", devem combater os "maconheiros esquerdistas pilantras" da FFLCH. 
 
Na última quinta-feira (13/8), o diretor da FFLCH, Sergio Adorno, enviou um comunicado aos alunos e professores da faculdade no qual denuncia o "alto índice ofensivo às alunas". Ele ainda afirmou ter registrado um boletim de ocorrência no 93° DP. "Os fatos são extremamente graves. Ofendem a dignidade de todas as mulheres e também de todos os homens que compartilham valores fundamentais de respeito aos direitos humanos. Disseminam imagens depreciativas dos corpos constitutivos desta Faculdade - alunos e alunas, os e as docentes, funcionários e funcionárias além de todos os cidadãos e cidadãs que reconhecem esta universidade como centro de excelência". 
 
A polemica, no entanto, parece não ter afetado o autor do “Tio Astolfo”. Nesta sexta (14/8), uma nova postagem, intitulada “Cago e ando para a OAB/CE” deu uma “resposta” à recente ação do órgão cearense, que pediu a instauração de um inquérito para investigar o blog. As críticas também foram direcionadas à Central Única dos Trabalhadores (CUT). 
 
"Se a CUT pode defender o terrorismo, então, pela lógica, eu posso defender o estupro. Se a presidente deste país que roubou bancos e mata pessoas e não deu em nada, então eu também posso estuprar que não vai dar em nada. Se o CNPQ pode patrocinar a marcha pela descriminalização do aborto, então eu também posso fazer uma marcha pela descriminalização do estupro com direito ao maníaco do parque e o Champinha".