Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

24/06/2016 às 15:04

Brasileiros são os mais politicamente ativos na web nas Américas

Escrito por: Redação
Fonte: Comunique-se

Quando o assunto é política, os internautas brasileiros são os mais ativos da web, considerando os demais países das Américas. O dado é de pesquisa realizada pela Worldwide Independent Network of Market Research (WIN) em nove países da região, que aponta altos índices de “ativismo online”. No Brasil, a pesquisa foi realizada pela divisão de estudos online do Ibope Inteligência, o Conecta. 

Os resultados mostram que o percentual de brasileiros que leram sobre temas políticos seguiram páginas relacionadas ao assunto ou postaram comentários relativos ao cenário atual é maior que a dos vizinhos. No último ano, 87% dos internautas consumiram conteúdos sobre política nas redes sociais. Em seguida, estão Colômbia (65%), Canadá (60%) e Peru (59%). A média da região é 59%. 

Os internautas brasileiros também são os que mais possuem amigos ou seguem páginas com publicações de cunho político nas redes sociais. Cerca de metade dos usuários do país afirma ter acompanhado as discussões sobre o setor, deixando Estados Unidos (38%), Colômbia (37%) e Canadá (32%) para trás. No continente, o percentual médio é de 36%.

O levantamento revela, ainda, que comentar notícias políticas publicadas por um jornal online é atividade realizada por quase metade dos internautas brasileiros (49%), mas por apenas 27% dos internautas da região. Mais uma vez, acima da média (19%) e em primeiro do ranking dos nove países, o Brasil é o país com mais pessoas que participaram de manifestação convocada pelas redes sociais (24%). 

A pesquisa mostra que há um consenso, especialmente na América do Norte, de que a internet favorece o compromisso social. Nos Estados Unidos, 73% acreditam no comprometimento com os problemas na sociedade. No Canadá, são 67%. No México e no Brasil, o percentual é de 43. Ao todo, foram realizadas 8.743 entrevistas em nove países das Américas, de outubro a dezembro de 2015.