Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

06/08/2014 às 15:22

Cinema brasileiro é destaque no Festival de Locarno

Escrito por: Redação
Fonte: Ministério da Cultura

Cena do filme "Ventos de agosto", que concorre ao Leopardo de Ouro. (Foto de Beto Figueiroa)

06.08.2014

O cinema brasileiro será um dos destaques do Festival de Cinema de Locarno, na Suíça, que começa hoje e segue até 16 de agosto. Três filmes do país participarão das mostras competitivas do evento e a seção Carte Blanche (Carta Branca), voltada a longas-metragens em pré-produção, será integralmente dedicada ao Brasil. Além disso, outras produções de cineastas brasileiros serão apresentadas - fora das competições - ao público que comparecer ao festival, realizado há 67 anos e considerado um dos principais eventos cinematográficos do mundo.

O longa-metragem "Ventos de agosto", do pernambucano Gabriel Mascaro, é o representante brasileiro na disputa pelo principal prêmio do festival, o Leopardo de Ouro. O filme conta a história de uma mulher que larga a cidade grande para cuidar da avó em uma pequena vila de pescadores, onde se envolve com um trabalhador de fazenda e um pesquisador de ventos alísios.

Na competição Cineastas do Presente, dedicada ao primeiro ou segundo filme de seus realizadores, participa o longa brasileiro-uruguaio "Os inimigos da dor" / "Los inimigos del dolor", de Arauco Hernández. Na mostra Leopardos ou Cineastas de Amanhã, o curta-metragem "O bom comportamento", da carioca Eva Randolph, concorre com outras 26 produções. Eva já foi vencedora em Locarno, em 2008, do Leopardinho, com o curta "O elefante".

Outros filmes brasileiros também serão exibidos no festival fora das mostras competitivas: "Poder dos afetos", curta de Helena Ignez, com o cantor Ney Matogrosso; "Com os punhos cerrados", de Pedro Diógenes, Ricardo Pretti e Luiz Pretti; e "Copacabana, meu amor", de 1970, do diretor Rogério Sganzerla, que participará da mostra História do Cinema.

Carte Blanche

Desde 2011, o Festival de Locarno promove a seção Carte Blanche, voltada a filmes em pré-produção. Este ano, a seção será voltada exclusivamente ao Brasil. Sete longas-metragens do país serão apresentados a profissionais da indústria cinematográfica, com destaque para agentes de venda e programadores de festivais internacionais. São eles: "Aspirantes", de Ives Rosenfeld (RJ); "Beco", de Camilo Cavalcanti (PE); "Nise da Silveira", de Roberto Berliner (RJ); "O touro", de Larissa Figueiredo (PR); "Oração do amor selvagem", de Chico Faganello (SC); "Ponto zero", de José Pedro Goulart (RS) e "Que horas ela volta?", de Anna Muylert (SP). Os melhores projetos receberão prêmio de 10 mil francos suíços (cerca de 11 mil dólares) para serem utilizados na finalização dos filmes.

O Brasil também participa no júri do festival. A atriz Alice Braga é jurada na competição internacional. E o cineasta e crítico de cinema Helvécio Martins integra o júri da mostra Leopardos ou Cineastas de Amanhã.

A presença brasileira no festival conta com suporte da Agência Nacional do Cinema (Ancine), por meio do Programa de Apoio à Participação de Filmes Brasileiros em Festivais Internacionais e de Projetos de Obras Audiovisuais Brasileiras em Laboratórios e Workshops Internacionais. O programa auxilia produções convidadas oficialmente a participar anualmente de cerca de 80 festivais internacionais de cinema e de 27 laboratórios de workshop.

Alessandro Mendes

Assessoria de Comunicação

Ministério da Cultura