Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

10/11/2015 às 15:06

Cúpula do IGF defende a internet para todos durante reunião na Paraíba

Escrito por: Krystine Carneiro
Fonte: G1

'Dia 0' do IGF 2015 teve reunião de cúpula. Evento promovido pela ONU segue até sexta-feira (13)

A cúpula do Fórum de Governança da Internet (IGF 2015), promovido pela Organização das Nações Unidas (ONU), defendeu, na tarde desta segunda-feira (9), uma internet acessível para todos com segurança e privacidade. As intervenções de representantes de vários países e de grandes empresas foram feitas durante a Reunião da Cúpula do IGF, como parte da programação do “Dia 0” do evento, que acontece em João Pessoa.
 
Uma das autoridades que falou durante a reunião foi Nnenna Nwakanma, que é coordenadora da regional África da World Wide Web Foundation - ou apenas Web Foundation, uma organização dedicada ao aperfeiçoamento e disponibilidade da internet. Ela considera a internet a mais importante invenção da história. Porém, enfatiza que 60% da população global ainda não está online.
 
“Na Web Foundation, nós acreditamos que é direito de todo mundo, em qualquer lugar, de acessar o poder transformador da rede. É o nosso dever garantir que a internet se torne acessível a um preço justo para todo mundo”, declarou.
 
Vint Cerf, vice-presidente do Google e um dos criadores da web, também declarou que é preciso propagar o alcance da rede. “Nós devemos buscar alcançar uma internet aberta, acessível e com preço justo, disponível para todos. Também é importante falar na acessibilidade. Todas as pessoas do mundo deveriam ter acesso à internet e não podem ser impedidas por suas deficiências”, defendeu.
 
“Devemos trabalhar arduamente para que o público confie na internet garantindo a segurança e a privacidade dos usuários. E essa é uma responsabilidade ampla: dos governos, do setor privado e do público geral, que deve adotar práticas para garantir sua própria segurança”, disse Cerf.
 
Para o diretor-presidente do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), Demi Getschko, a Internet é uma tecnologia disruptiva que tem modificado os modelos de negócios, as formas de obter informação, a relação do governo com o cidadão e também a legislação.
 
Getschko lembrou das ameaças que a Internet sofre, não só por ser disruptiva, mas também por cidadãos bem intencionados que querem nos proteger dos riscos. "É fundamental que a rede em si seja protegida. Devemos proteger a privacidade e batalhar pela segurança", observou.
 
Em entrevista à imprensa, o governador Ricardo Coutinho também comentou sobre os benefícios da internet. “Através da internet, você pode democratizar a sociedade - com o acesso à informação. A internet, com seus recursos de imagem, de som e de dados, ela tem uma capacidade ilimitada de promover essa democratização, ou seja, de dar às pessoas o acesso àquilo que é direito delas”, declarou. “A internet não pode ser concentrada, não pode ter um único país como detentor de endereço, ela tem que ser segura, mas ela tem que ser acessível”.
 
Fórum IGF
 
O Fórum foi criado pela Organização das Nações Unidas no ano de 2006, pelo então secretário-geral, Kofi Annan, e é realizado anualmente em vários países. Esta é a primeira vez que a região Nordeste recebe o evento. A primeira vez que o Brasil sediou o IGF foi em 2007, na cidade do Rio de Janeiro e o último evento aconteceu na Turquia.
 
A edição 2015 do IGF tem como tema “Evolução da Governança da Internet: empoderando o desenvolvimento sustentável”. A partir da terça-feira (10) até a sexta-feira (13), o IGF vai realizar várias atividades com oito temáticas: Cibersegurança e confiança; Economia da Internet; Inclusão e diversidade; Abertura de acesso; Reforçando a cooperação multissetorial; Internet e os Direitos Humanos; Recursos críticos da Internet e Questões emergentes.