Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

29/05/2015 às 13:12

Google confirma Brillo e promete melhorias no Android

Escrito por: Redação
Fonte: Tele.síntese

Companhia mostrou Google Pay, seu sistema de pagamentos móveis, que será aceito em 700 mil lojas nos Estados Unidos

A Google anunciou hoje uma série de lançamentos, que serão realizados ao longo de 2015. A gigante de tecnologia mostrou, na sua conferência para desenvolvedores, a I/O, o Brillo, seu sistema operacional para objetos se conectarem à internet das coisas. O sistema é derivado do Android, mas usa um conjunto de tecnologias de comunicação recém criado pela empresa em parceria com a Nest, fabricante de sensores domésticos adquirida pela Google. Os desenvolvedores que adotarem o Brillo deverão passar por um programa de certificação para que seus objetos tenham compatibilidade garantida com a plataforma de IoT da companhia. O diferencial do Brillo é que ele “conversa” com dispositivos Android, tornando cada smartphone ou tablet um controlador.
 
A empresa também demonstrou o Google Pay, sua versão de produto para realizar pagamentos móveis. O Google Pay armazena os dados de cartão de crédito do usuário. Em uma loja, basta desbloquear o celular e encontrar o celular que tenha conectividade NFC em um terminal de pagamentos compatível, e pronto. O pagamento será realizado, automaticamente. A plataforma também permitirá pagamentos dentro de aplicativos e seleção de qual cartão usar no momento. Estará disponível em 700 mil lojas nos Estados Unidos “em breve”, diz a empresa.
 
Outro anúncio feito pela companhia foi o novo Android, batizado, por enquanto, de M. Segundo a Google, o sistema operacional está sendo aperfeiçoado. Deve ser lançado até o final do ano e será mais “poderoso”. Além da resposta mais veloz aos comandos, terá um sistema otimizado de consumo de bateria e outro de gerenciamento de dados pessoais.
 
A empresa afirmou ainda que agora seu programa de parcerias com fabricantes de smartphones de baixo custo, o Android One, agora chega a sete países. Em 13 países, onde o índice de conectividade é baixo ou a internet tem velocidade reduzida, vai apresentar uma página simplificada de resultados de busca, mais leve. Também em países em desenvolvimento, vai permitir o armazenamento offline de seus mapas, com direito a busca e navegação sem conexão. (Com assessoria de imprensa)