Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

27/08/2015 às 13:49

Governo de SP quer bancar dados do acesso móvel a seu e-gov

Escrito por: Redação
Fonte: Tele.síntese

Proposta usará contrato por adesão com valor por dado abaixo do praticado ao consumidor final pelas teles

O governo de São Paulo está negociando com Vivo, Claro, TIM e Oi um contrato para a entrega de serviços do Poupatempo por dispositivos móveis, com a conta do uso de dados paga pelo governo. Com a iniciativa, o estado bancaria o acesso ao app do Poupatempo e a outros 20 aplicativos de diversas áreas do governo quando feito pelas redes das operadoras.
 
A Coordenadoria de TI da Subsecretaria de Tecnologia e Serviços ao Cidadão é responsável pela negociação, enquanto a Secretaria Jurídica está elaborando um modelo de contrato por adesão. “As operadoras interessadas aderem ao modelo, a um preço fixo, mais baixo do que o praticado no mercado para o uso de dados”, explica Aldo Garda, coordenador de TI da Subsecretaria.
 
Para o governo, a medida traria economia, garante Garda, pois diminuiria os gastos com teleatendimento pelo serviço Disque Poupatempo. O sistema recebe 265 mil ligações por mês. Cada ligação dura em média 7 minutos, gerando um custo alto de telefonia para o governo. 
 
Com o uso de dados, o usuário poderá agendar o serviço no Poupatempo e receber a relação de documentos em seu email. Também receberá uma mensagem, um dia antes da data agendada, lembrando o compromisso e a documentação necessária.
 
A medida, se aceita pelas teles, fará parte do programa batizado de Poupatempo 2ª geração. O programa prevê também atualização do atendimento telefônico, com uso de uma unidade de resposta audível (URA) ou por reconhecimento de voz e instalação de totens em estações do Metrô, CPTM e postos de saúde. “A meta do governo com essas inciativas é reduzir, em dois anos, o volume de atendimento presencial nos postos”, informa Garda. (Com assessoria de imprensa)