Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

28/06/2016 às 18:38

Governo federal vai usar Facebook para avaliar serviços públicos

Escrito por: Redação
Fonte: Convergência Digital

O governo brasileiro vai participar de um projeto que analisa a qualidade e a satisfação dos cidadãos em relação a serviços públicos, realizado por meio do Facebook. O projeto, financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), vai avaliar no Brasil a marcação de consultas no Sistema Único de Saúde, emissão de carteira de trabalho, de motorista, de identidade e segunda via de registro de nascimento.
 
O primeiro serviço federal a ser analisado será emissão e registros na carteira de trabalho. Essa avaliação está prevista para acontecer até o primeiro semestre de 2017. O órgão responsável no país por acompanhar a execução da ação será o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MP), em parceria com o Ministério do Trabalho, responsável pela prestação do serviço. O levantamento no Brasil envolverá a participação dos estados da Bahia, Distrito Federal, Pará, Rio de Janeiro e Santa Catarina.
 
A ferramenta utilizada para a pesquisa nessa etapa será o Facebook, escolhido por ser um canal digital simples, centralizado, de baixo custo, já conhecido pelos usuários e amplamente utilizado pelo público-alvo da pesquisa.  O cidadão poderá opinar a respeito de questões que buscarão identificar as suas expectativas, nível de satisfação, confiança na instituição prestadora e no governo em geral.
 
As questões serão agrupadas nas dimensões de: processo (tempo, quantidade de etapas, custos e utilidade percebida), desempenho dos funcionários no atendimento, comodidade dos locais de prestação dos serviços, acesso à informações e requisitos de atendimento.
 
A iniciativa faz parte da segunda etapa do projeto ‘Simplificando Vidas’. A primeira fase foi um projeto-piloto realizado em 2015, também por meio do Facebook, com a participação de seis países da América Latina: Chile, Equador, Panamá, Paraguai, Trinidade e Tobago, e Uruguai. Nesta segunda etapa do projeto, além do Brasil participarão Argentina, Canadá, Colômbia, Costa Rica, Equador, Estados Unidos, Panamá, Paraguai, Peru, Trinidade e Tobago, e Uruguai.
 
* Com informações do Ministério do Planejamento