Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

17/10/2013 às 13:58

Governo financia tablets para as classes C, D e E

Escrito por: Redação
Fonte: Convergência Digital

O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou nesta quarta-feira,16/10, a ampliação da lista de produtos que podem ser comprados no âmbito do programa Minha Casa Melhor, com a inclusão de itens como tablet, forno de microondas, móveis para cozinha e estante ou rack. Foi definido preço máximo de 800 reais para tablets, 350 reais para microondas, 600 reais para móveis para cozinha e 350 reais para estante ou rack. As mudanças entram em vigor nesta quinta-feira.

Segundo comunicado, a inclusão desses itens atende a demanda por novos produtos dos beneficiários do programa. O CMN aprovou também alteração nos limites de valor para compra de produtos que já estavam na lista. Com isso, o preço para compra de máquina de lavar passou de 850 para 1.100 reais; da cama de solteiro, berço ou cama-box de solteiro, de 320 para 400 reais; de mesa com cadeira, de 300 para 400 reais; de sofás, de 375 para 600 reais e de guarda-roupas, de 380 para 700 reais. A linha de crédito do Minha Casa Melhor, operada pela Caixa Econômica Federal, continua em 5 mil reais, e as demais condições do programa também não serão alteradas.

Segundo dados divulgados pela IDC, de abril a junho foram comercializados 1,92 milhão de tablets no Brasil, o que representa um crescimento de 151% em relação ao mesmo período no ano passado. Com esse desempenho, os tablets conquistaram ainda mais espaço no mercado de computadores, chegando a 35% do total e sendo superados apenas pelos notebooks, que responderam por 38% das vendas no trimestre, enquanto os desktops foram 27%.

Em relação ao sistema operacional, 95% dos tablets comercializados no período eram baseados em Android, contra 68% no segundo trimestre de 2012. A fatia de equipamentos de baixo custo, com preço de até R$ 500, dominou as vendas no período, com 55% do total. O preço médio dos tablets caiu de R$968 no segundo trimestre de 2012 para R$628, o que coloca a maior parte dos tablets vendidos no país dentro das regras do do programa Minha Casa Melhor.
nda conforme a consultoria, a expectativa de vendas de tablets no mercado brasileiro em 2013 foi revisada para cima – estima-se que serão 7,2 milhões de unidades, 120% a mais do que o registrado em 2012. No final do primeiro trimestre, a projeção era de 5,9 milhões de unidades neste ano.