Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

07/02/2018 às 04:39

Jornalistas da Reuters detidos em Mianmar vão a tribunal

Escrito por: Redação
Fonte: Portal Imprensa

Os repórteres da Reuters, Wa Lone, de 31 anos, e Kyaw Soe Oo, de 27, presos e acusados de violarem a lei de segredos oficiais de Mianmar, que data da era colonial do país, compareceram hoje a um tribunal para acompanhar a sessão em que procuradores apresentariam mais testemunhas para determinar se eles serão condenados. É o que informa nota publicada hoje pela Reuters. 
 
Detidos há oito semanas, os jornalistas – que já tiveram um pedido de fiança negado – chegaram algemados ao fórum do distrito de Insein, em Yangon, onde dezenas de repórteres e diplomatas aguardavam para acompanhar os procedimentos.
 
A dupla trabalhava na cobertura da Reuters sobre a crise no Estado de Rakhine, onde uma repressão militar contra insurgentes iniciada no fim de agosto provocou a fuga de 688.000 muçulmanos rohingyas, de acordo com a ONU. Wa Lone e Kyaw Soe Oo foram presos no dia 12 de dezembro, depois de serem convidados para jantar com policiais em Yangon. 
 
O governo birmanês acusa os jornalistas de enviar documentos importantes sobre as forças de segurança no Estado de Rakhine para estrangeiros no exterior. A pena prevista para esse tipo de crime no país pode chegar a 14 anos de prisão.
 
De acordo com os advogados de defesa afirma que as informações que constavam nos memorandos a que os repórteres da Reuters tiveram acesso já eram de conhecimento público e foram publicadas pela imprensa internacional antes da prisão da dupla.
 
Um dos policiais responsáveis pela prisão afirmou no tribunal que as circunstâncias da detenção foram detalhadas em anotações que fez, mas queimou os registros sem explicar o motivo.
 
Para Stephen J. Adler, presidente e editor-chefe da Reuters, expressou decepção com a decisão sobre o pedido de fiança, e pediu a libertação imediata dos jornalistas. “Nós acreditamos que os processos judiciais vão demonstrar sua inocência e que Wa Lone e Kyaw Soe Oo serão capazes de retornar a seus trabalhos reportando eventos em Mianmar.”