Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

30/03/2015 às 13:35

José Dirceu tem suspeita de AVC e milhares pedem a sua morte

Escrito por: Lino Bocchini
Fonte: Carta Capital

Reação ao suposto problema de saúde do ex-ministro reflete o nível do debate político no Brasil, onde mensagens de ódio extremo são tratadas com naturalidade

No final da tarde desta sexta-feira 27 José Dirceu deu entrada em um hospital de Brasília com a suspeita de estar com um princípio de AVC.  Sem maiores detalhes sobre o estado de saúde do ex-ministro, sites publicaram a notícia e a publicaram em suas redes sociais.
 
 
Foi o suficiente para uma enxurrada de comentários de ódio brotarem nas redes sociais pedindo a morte de Dirceu, muitas delas com requintes de crueldade. Outros pediram também a morte da presidenta Dilma Rousseff e do ex-presidente Lula. Abaixo reproduzo alguns comentários que conseguiram, o apoio de mais de 500 pessoas (“likes”) em apenas duas horas de Facebook:
 
“Você vai conseguir vencer essa! Força AVC!!”
 
“Estamos juntos AVC. Não mata não por favor, só deixa ele vegetativo, cagando na cama.”
 
“Morre que passa.”
 
“#SomosTodosAVC”
 
“O demônio tá vindo buscar!”
 
“A Dilma leva vantagem pois como não tem cérebro nunca vai ter AVC!!!”
 
“Que morra e volte para buscar Dilma e Lula.”
 
“A chapa quente do inferno tá prontinha pra ele a para o molusco.”
 
São frases fortes, e peço desculpas por reproduzi-las. Acredito, contudo, que neste caso a reprodução é justificável, para ilustrar o tamanho da irracionalidade e do ódio.
 
Curiosamente, muitos dos perfis autores destas mensagens ou seus apoiadores são pessoas que se dizem cristãs e têm imagens religiosas em meio a seus perfis. E ainda defendem a paz, a família, um mundo melhor...
 
Muitos dos comentários inclusive evocam a religiosidade para pedir a morte de José Dirceu:
 
“Glória a Deus, minhas preces foram atingidas.”
 
“Deus é pai, aqui se faz, aqui se paga.”
 
"DEUS. Faça ele ser atendido no SUS por um dos médicos cubanos que dará o diagnóstico de virose e ele será enviado para casa e morrerá dentro de poucas horas. Amém!"
 
Não quero entrar no mérito sobre a conduta de José Dirceu, o que ele fez ou deixou de fazer. Não é disso que se trata esse artigo. Também não defendo a censura de ninguém. Tampouco pretendo atacar a fé de quem quer que seja.
 
Este breve texto é apenas um convite à reflexão. A que ponto chegamos? Quando perdemos totalmente nossa humanidade a ponto de ser normal alguém falar publicamente algo como “Não mata não, só deixa ele vegetativo, cagando na cama” e receber o apoio de mais de mil pessoas em menos de uma hora?
 
Como será possível continuarmos debatendo não apenas política, mas qualquer assunto nesses termos? É com este tipo de debate sério que iremos melhorar o Brasil?
 
E, o pior de tudo, a publicação deste artigo deverá gerar ainda mais mensagens de ódio, comprovando que quem está doente não é o ex-ministro. É a sociedade.