Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

14/04/2016 às 15:41

Linux perde fôlego e Windows retoma liderança folgada nos servidores

Escrito por: Ana Paula Lobo
Fonte: Convergência Digital

O Open source não vingou nos desktops - onde a Microsoft tem um domínio absoluto com 97% do mercado - e está perdendo a vez nos servidores de forma continuada nos últimos anos.  Essa é a constatação da 27ª Pesquisa Anual do Uso de TI, feita pelo professor Fernando Meirelles, da Fundação Getúlio Vargas, de São Paulo, e divulgada nesta quinta-feira, 14/04. 
 
De acordo com o relatório, o open source - Linux + sabores Unix - está com pouco mais de 22% do mercado de servidores brasileiro, mas com uma tendência de perda de espaço registrada nos últimos anos - já chegou a ter quase 40% em 2010. A pesquisa mostra que, em 2016, o Linux fica com 16% e os outros sabores Unix, com 7%. O Windows responde por 72% dos sistemas operacionais nos servidores.
 
"O mundo Unix está sumindo, mesmo com a IBM apostando no Linux. E o Open Source está deixando de ser usado nos servidores. O Windows ganha escala nesse mercado", frisou o professor Fernando Meirelles, da Fundação Getúlio Vargas. Nos aplicativos, como Excell e email, a Microsoft também tem domínio absoluto, mas há uma tendência que precisa ser observada, adverte o especialista.
 
"Os jovens estão usando mais o Google. Nos escritórios, o Google tem pouca presença, mas se os jovens estão trocando o PC pelo smartphone, eles vão determinar, provavelmente, um novo redesenho nesse mercado. Essa é uma virada que deverá acontecer nos próximos anos. E a Microsoft não se estabeleceu no mercado de smartphones, apesar da compra da Nokia", reforça Meirelles. 
 
No correio eletrônico, a surpresa é com a resistência do Lotus Notes, que têm 8% do mercado. "O governo de São Paulo é usuário do Lotus Notes, o que prova o seu uso mesmo com a mudança no mercado", explica o especialista da FGV. A Microsoft fica com 75% do mercado e o Google Mail com cerca de 5%. "O Google não rompeu a barreira das corporações", completa Fernando Meirelles.