Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

13/08/2014 às 14:32

Locarno - Ancine regula o mercado de filmes

Escrito por: Redação
Fonte: Correio do Brasil

Manoel Rangel, presidente da Ancine, prestigia com sua presença a seção Carte Blanche do Festival de Locarno, em parceria com o Cinema do Brasil. Para ele, Locarno é importante para o desenvolvimento do cinema brasileiro com a atual oportunidade oferecida pela Carte Blanche para a finalização de filmes que "confirmam a vitalidade e a variedade do nosso cinema."

De acordo com Rangel, "os sete filmes in progres selecionados demonstram a diversidade da cinematografia brasileira em termos de linguagem, de temas, de produtores e de diretores. Além disso, temos filmes na competição bem recebidos e com forte presença de público, isto é um momento de afirmação do cinema nacional e a oportunidade de se mostrar ao mundo o que tem sido feito no Brasil em termos de cinema".

"É também o momento de se ressaltar, diz o presidente da Ancine, o bom momento vivido pelo audiovisual brasileiro com uma presença muito forte dos filmes brasileiros nas salas e na televisão, uma boa participação do mercado, um crescimento e muitos filmes sendo realizados"

Sobre a presença hegemônica dos filmes americanos em todos os países, Manoel Rangel fala que "no Brasil a solução é uma política de Estado de apoio ao desenvolvimento do cinema e de regulação do mercado e estimular a realização de filmes para fazermos um contraponto. Temos feito a nossa parte".

O presidente da Ancine também destaca a presença do filme Aspirantes, entre os sete da Carte Blanche, considerado "muito expressivo e que dialoga com o Brasil, com a realidade e a cultura do povo brasileiro, o que constitui um dado relevante."

Rui Martins, de Locarno, convidado pelo Festival Ancine: apoio e regulação do mercado de filmes Manoel Rangel, presidente da Ancine, prestigia com sua presença a seção Carte

Blanche do Festival de Locarno, em parceria com o Cinema do Brasil. Para ele, Locarno é importante para o desenvolvimento do cinema brasileiro com a atual oportunidade oferecida pela Carte Blanche para a finalização de filmes que "confirmam a vitalidade e a variedade do nosso cinema."

Para ele, "os sete filmes in progres selecionados demonstram a diversidade da cinematografia brasileira em termos de linguagem, de temas, de produtores e de  diretores. Além disso, temos filmes na competição bem recebidos e com forte  presença de público, isto é um momento de afirmação do cinema nacional e a 
oportunidade de se mostrar ao mundo o que tem sido feito no Brasil em termos de cinema".

"É também o momento de se ressaltar, diz o presidente da Ancine, o bom momento vivido pelo audiovisual brasileiro com uma presença muito forte dos filmes brasileiros nas salas e na televisão, uma boa participação do mercado, um crescimento e muitos filmes sendo realizados"

Sobre a presença hegemônica dos filmes americanos em todos os países, Manoel Rangel fala que "no Brasil a solução é uma política de Estado de apoio ao desenvolvimento do cinema e de regulação do mercado e estimular a realização de filmes para fazermos um contraponto. Temos feito a nossa parte".

O presidente da Ancine também destaca a presença do filme Aspirantes, entre os sete da Carte Blanche, considerado "muito expressivo e que dialoga com o Brasil, com a realidade e a cultura do povo brasileiro, o que constitui um dado relevante."