Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

02/12/2013 às 10:02

Mostra de Cinema e Direitos Humanos na América Latina começa nesta segunda na Capital

Escrito por: Redação
Fonte: Zero Hora - Online

Cineasta e documentarista Vladimir Carvalho é o homenageado da oitava edição do evento

Em mais de 50 anos de carreira, o cineasta e documentarista Vladimir Carvalho, 78 anos, fez cinema como uma maneira de pensar e intervir no mundo. "Mas o cinema não transforma coisa nenhuma", ele diz. Carvalho tem no currículo produções essenciais da cinematografia brasileira, como Cabra marcado para morrer, em que foi trabalhou com Eduardo Coutinho, e Aruanda, filme de Linduarte Noronha que foi um "nascedouro" do Cinema Novo.

Homenageado da Mostra Cinema e Direitos Humanos na América Latina, que começa hoje em Florianópolis, ele afirma que quem tem o papel essencial de corrigir as injustiças sociais é a política e a economia, se foram pensadas com acuidade. E não o cinema.

- O cinema pode só contribuir. A arte, de modo geral, é apenas instigante. Você assiste a um filme e fica impressionado, a história das pessoas é comovente.

E é justamente a poesia dos pequenos gestos, mesmo diante de duras realidades, da desigualdade e da violência, que sempre cativou Carvalho. Seus 22 filmes, maioria documentários de curta e longa-metragem, conservam a poética da vida como ela é.

- Acho que um filme não é só bom quando tem um fundo político. Um filme é bom porque é bom - resume.

Seu último documentário foi Rock Brasília - A Era de Ouro, de 2011, mas já trabalha num novo documentário sobre a vida de Cícero Dias (1907 - 2013), artista modernista pernambucano.

 
Cena do filme Conterrâneos Velhos de Guerra, de 1991

Mostra ocorre em todas as capitais

A oitava edição do evento terá mostra competitiva, de produções de realizadores indígenas e a homenagem a Vladimir Carvalho. É uma oportunidade para quem quer conhecer produções nacionais e latino-americanas que vão além da estética e prezam também pelo conteúdo, seja de denúncia ou apenas relatos da desigualdade social. Apesar de prezar pela acessibilidade para quem tem necessidades especiais, a mostra só peca pela localização, a faculdade Cesusc, local não popularmente frequentado para eventos culturais.

Até o dia 7 ocorrem quatro exibições diárias. A abertura será com o curta A Onda Traz, o Vento Leva, de Gabriel Mascaro, e a animação Uma História de Amor e Fúria, às 19h30. Outras 26 cidades do Brasil receberão a mostra, realizada pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, em parceria com o Ministério da Cultura.

:: Agende-se

O quê: 8ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul
Quando: 2 a 7/12, 8h30, 14h, 16h e 19h30
Onde: Auditório do Cesusc (rod. SC 401, Km 10, trevo Santo Antônio de Lisboa, Florianópolis)
Quanto: Gratuito

Informações: (48) 3239-2600