Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

22/02/2017 às 21:35

No Brasil, Wi-fi responde por mais da metade do acesso a Internet por smartphones

Escrito por: Luís Osvaldo Grossmann
Fonte: Convergência Digital

A mais recente análise da OpenSignal sobre a velocidade das conexões móveis ao redor do planeta reflete o crescimento contínuo do 4G tomando o lugar do 3G. Ainda assim, ressalta o relatório, mesmo com as rápidas conexões 4G se tornando a regra em vários países, o Wi-fi continua fundamental para quem usa um smartphone. 
 
O levantamento foi feito com base em 19 bilhões de amostras coletadas de mais de 1 milhão de smartphones que rodam a ferramenta da empresa britânica em 87 países. Para chegar às velocidades médias de cada país a OpenSignal avalia o agregado das experiências de navegação com 4G e 3G, entendido como um retrato mais realista da realidade diária de quem usa smartphones para acessar a internet.
 
As diferenças entre os países são imensas, com as velocidades médias variando de menos de 3 Mbps a mais de 30 Mbps. A Coreia do Sul continua com a rede mais rápida, ainda que a velocidade média de download tenha baixado de 31,3 Mbps para 37,5 Mbps na passagem do trimestre. 
 
No relatório de agosto de 2016, apenas nove países tinham velocidades médias de 20 Mbps ou mais. Em novembro, eram 13:  além da Coreia, o clube dos top tem Noruega, Hungria, Cingapura (todos esses acima de 30 Mbps), Austrália, Holanda, Dinamarca, Lituânia, Suécia, Japão, Taiwan, Canadá e Bélgica. 
 
Na metade inferior do ranking estão países em desenvolvimento, muitos dos quais ainda nos primeiros estágios da implantação do 4G. Entre esses, Peru e México (9,9 Mbps), Uruguai (9,8 Mbps) e Chile (9,7 Mbps) aparecem com médias melhores que o Brasil, com 8,8 Mbps, em 53o na lista com 87 nações. 
 
Nas conexões Wi-fi, as distâncias entre os países são também grandes. Na Nigéria, o uso do Wi-fi responde por apenas 10% do tempo conectado via smartphone, enquanto na Holanda o acesso fixo é usado 68,5% do tempo. Nesse caso, a posição do Brasil é 27ª, com as conexões Wi-fi responsáveis por 53,4% da navegação ‘móvel’. 
 
Não há uma causalidade aparente. Países com boas velocidades de 4G, como Holanda, Canadá, Bélgica, Suécia e Japão aparecem no topo da lista do uso do Wi-fi, todos com mais de 55% do tempo tendo o acesso fixo predominante na navegação. Mas há tantos outros que igualmente lideram no LTE mas deixam o Wi-fi em segundo plano. A Coreia é o mais notável (Wifi 49,9% do tempo), mas também aí figuram nações como Lituânia, Cingapura e Austrália, todos com mais de 20 Mbps de velocidade média no 4G. 
 
Ainda assim, a avaliação da OpenSignal é de que o Wi-fi mantém uma relevância extraordinária, mesmo diante do claro avanço das redes móveis mais modernas de 4G. No caso do Wifi foram avaliados 96 países, sendo que entre os 20 onde o uso dessas conexões é menor – entre 10% e 33% do tempo – predominam nações menos prósperas da África e da Ásia, onde supostamente há maior dificuldade de implantação de grandes redes de transporte de dados. 
 
“No geral, uma grande proporção do tempo [de navegação] é feito por Wifi na maioria dos 96 países analisados. Especificamente em 38 deles, o Wi-fi responde por mais de 50% do tempo, o que significa que em uma grande parte do mundo os usuários usam pelo menos tanto tempo no Wi-fi quanto nas redes celulares. Mais do que um mero suplemento às redes 4G, o Wi-fi continua sendo uma tecnologia tão importante quanto qualquer sistema celular nas comunicações móveis.”