Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

19/01/2018 às 19:52

Nota de repúdio ao assassinato do radialista Jefferson Pureza

Escrito por: Redação
Fonte: Fitert

Na noite de quarta-feira (17) o radialista Jefferson Pureza, da Rádio Beira Rio FM, foi assassinado a tiros na cidade de Edealina, região sul de Goiás.
 
Jefferson, que estava afastado do trabalho desde novembro de 2017 por conta de um incêndio criminoso que paralisou as atividades da emissora onde atuava, foi atingido por 3 disparos dentro de sua própria residência. Alguns moradores da cidade identificaram dois homens em uma motocicleta como os responsáveis pela execução.
 
Até o momento, a polícia civil local não declarou concretamente as motivações do crime e nem os suspeitos de sua autoria. Em entrevista ao G1, a afirmação que o delegado Queops Barreto fez, foi de que há uma força-tarefa em curso. “A gente já sabe que foi uma execução. Foram dois criminosos que vieram até a residência e executaram, porque não houve subtração de bem algum. Por estar em um veículo de comunicação, ele possuía vários desafetos na cidade, então a gente não consegue definir ainda quem foi o mandante”, o delegado também afirmou.
 
A Fitert se solidariza com a família e amigos de Jefferson e exige a apuração de todos os fatos. A morte do comunicador reforça tragicamente, mais uma vez, a importância da federalização das investigações sobre crimes cometidos contra a categoria.
 
A diretoria da Federação considera de fundamental importância que os órgãos governamentais ouçam e dialoguem com as entidades representativas de radialistas, jornalistas e defensores dos direitos humanos para que as medidas já existentes possam efetivamente proteger os trabalhadores e o direito humano à comunicação.
 
Abaixo, segue a nota oficial do Sindicato dos Trabalhadores em Comunicação nos Estados de Goiás e Tocantins:
 
http://fitert.org.br/noticias/nota-de-repudio-ao-assassinato-do-radialista-jefferson-pureza/