Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

21/10/2014 às 16:32

Novo Museu da Imagem e do Som do Rio terá terraço panorâmico com cinema

Escrito por: Redação
Fonte: Comunique-se


Arquivos da memória cultural carioca ganharão novo endereço em 2015. A inauguração do novo Museu da Imagem e do Som (MIS) vai coincidir com a comemoração dos 450 anos de aniversário do Rio de Janeiro. As obras da futura sede estão a pleno vapor e serão concluídas até o fim deste ano.

A área de 9,8 mil m², dividida em oito pavimentos, abrigará exposições permanentes e temporárias, espaços de convivência, salas de pesquisa, teatro, boate no subsolo, bar, lojas, restaurante e o terraço, que funcionará como mirante para o mar - com direito a um amplo gramado e um cinema a céu aberto.

Uma das principais preocupações para a presidente do MIS, Rosa Maria Araújo, foi traduzir a identidade carioca na nova sede. "O Rio é a capital da cultura que, desde os seus primórdios, concentra a indústria criativa brasileira. No projeto, procuramos mostrar as características do povo e da cidade. O humor, o samba, a bossa nova, o carnaval, o chorinho".

O bairro de Copacabana está intimamente ligado ao museu, por sintetizar a pluralidade da cidade e por ter inspirado tantas manifestações culturais ao longo dos anos. "Pensamos em construir um anexo, em reformar a estação da Leopoldina e, enquanto se procurava alternativas, veio a ideia de se apropriar da antiga Help", explicou Rosa, referindo-se ao prédio da extinta boate na Avenida Atlântica, em Copacabana. "Quem não quer um museu com vista panorâmica para a orla?".

Realizado por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, o projeto do novo MIS tem como patronos a Rede Globo, o Itaú e a Natura, além do patrocínio de Vale, IBM, Ambev e Light, do apoio do Grupo Votorantim e do financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento. A comunicação integrada explorada pelo museu foi debatido no VII Fórum de Marketing Cultural, evento promovido pela Associação Brasileira de Anunciantes no Rio de Janeiro na última quinta-feira, 16.

Desde a demolição do prédio que ocupava o terreno, o cuidado com o meio ambiente estava presente. A operação foi focada na reciclagem e teve índice de reaproveitamento de 99,81% dos materiais. A concepção arquitetônica da nova sede do MIS foi escolhida em concurso internacional vencido por Elizabeth Diller e Ricardo Scofidio, do estúdio Diller Scofidio + Renfro. De responsabilidade do governo estadual do Rio de Janeiro, a obra custou R$ 88 milhões, incluindo todos os projetos.

O novo MIS pretende ser um ponto de encontro para cariocas e turistas, com atividades para todas as idades. Diante de tanta expectativa, uma sala de visitação foi aberta ao público, para mostrar um pouco do desenvolvimento do museu e alguns itens do acervo. Ao todo, o MIS possui mais de 80 mil discos, 40 mil fotografias e 70 mil partituras e cerca de 300 mil documentos que falam da história do Rio de Janeiro. "A interatividade é a palavra-chave. O museu está sendo erguido para conduzir o público, apresentando cada tema, em uma alegre viagem", comemora Rosa.