Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

01/03/2016 às 13:05

O que acontece com quem não mudou o aparelho de TV em Rio Verde?

Escrito por: Miriam Aquino
Fonte: Tele.síntese

No lugar das novelas, programas religiosos, filmes e telejornalismo irá aparecer a imagem de uma cartela fixa informando que não há mais o sinal e que o telespectador dever ligar para o número 147 para tirar as dúvidas sobre como poderá assistir à sua TV preferida. Essa cartela ficará no ar em cada canal analógico por mais um mês

O desligamento dos sinais da TV analógica na cidade goiana de Rio Verde, que ocorrerá oficialmente amanhã, dia 1 de março, com a presença do ministro das Comunicações André Figueiredo, está confirmado mesmo com o resultado da última pesquisa de opinião, que indicou apenas 85% dos lares da cidade estarem aptos a captar o sinal da TV digital. Pelas regras estabelecidas pelo governo, o desligamento só poderia ocorrer se os sinais digitais fossem captados por 93% das residências, ou em qualquer outro número, caso fosse aprovado por unanimidade pelo Gired (grupo responsável pela transição da TV analógica), o que ocorreu na reunião de hoje,.
 
Segundo o conselheiro Rodrigo Zerbone, que preside o Gired, todas as emissoras de TV da cidade passarão a transmitir a sua programação a partir de amanhã, 1 de março, em outra frequência e em sinais digitais. E os telespectadores que ainda têm aparelhos de TV que só recebem os sinais analógicos, não conseguirão mais assistir aos seus programas preferidos.
 
No lugar das novelas, programas religiosos, filmes e telejornalismo irá aparecer a imagem de uma cartela fixa informando que não há mais o sinal e que o telespectador dever ligar para o número 147 para tirar as dúvidas sobre como poderá assistir à sua TV preferida. Essa cartela ficará no ar em cada canal analógico por mais um mês.
 
Este é o número do call center montado pela EAD (empresa criada pelas operadoras de celular) responsável por distribuir os conversores para a população de baixa renda, cadastrada nos programas sociais do governo. Ao ligar, o atendente estará treinado para, pelo número do CPF, dizer se a pessoa tem direito a receber o conversor gratuitamente e o local de entrega da caixinha, que vai junto com a antena.
 
Ou ainda fornecer as informações técnicas necessárias para que o telespectador compre os equipamentos  ou saiba identificar o seu aparelho de TV, se ele precisa ou não ser mudado.
 
O Gired indica que, se  a televisão é antiga, daquelas grandes, de tubo, será preciso trocá-la por uma nova ou adquirir um conversor de TV Digital e, possivelmente, uma antena apropriada, preferencialmente externa.
 
Se a TV é nova e contiver um conversor de TV Digital integrado, poderá ser preciso providenciar a antena adequada para a recepção neste formato, caso o domicílio ainda não tenha. A grande maioria dos modelos mais novos de TV, ditos de tela fina (plasma, LCD, LED etc.), já possui um conversor de TV digital integrado, mas é recomendável consultar o manual do produto para ter certeza.
 
Conversor
 
A distribuição dos conversores para os cadastrados do Bolsa Família (e não os beneficiários) foi bem menor do que o esperado e atingiu apenas metade do público-alvo, enquanto para os beneficiários foram encontradas 80% das famílias que tinham direito.
 
Para ampliar essa entrega, a EAD pretende procurar as fontes originais dos cadastros (como os integrantes do Minha Casa Minha Vida, Luz para Todos, etc.).