Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

25/02/2010 às 12:27

OEA critica Hugo Chávez por limitações à liberdade de imprensa na Venezuela

Escrito por: Redação
Fonte: Portal Imprensa

A Comissão Internacional de Direitos Humanos (CIDH), vinculada à Organização dos Estados Americanos (OEA), divulgou um relatório de mais de 300 páginas sobre a Venezuela, em que acusa o presidente Hugo Chávez de perseguição a jornalistas e imposição de limites à liberdade de imprensa no país.

O documento, divulgado na última quarta-feira (24), aponta "retaliação, intimidação, desqualificação, exclusão, discriminação no trabalho e até mesmo ataques legais e privações de liberdade" contra veículos de imprensa, órgãos de direitos humanos e opositores ao governo.

Ainda, de acordo com o texto, identifica-se no país "aspectos que contribuem para o enfraquecimento da lei e da democracia (...)" e que aproximam as ações do atual governo a de um estado de regime totalitário.

"Retaliações contra defensores de direitos humanos e jornalistas, repressão de protestos; abuso de agentes do Estado; violência no sistema penitenciário e contra a mulher. E outras violações são características por altos níveis de impunidade", diz o texto da OEA.

A CIDH não foi autorizada por Chávez a entrar no país, o que levou os agentes a se basearem em fontes de órgãos de direitos humanos e na imprensa venezuelana.

Segundo o representante de direitos humanos de Caracas, capital do país -German Saltrón -as denúncias não procedem, por serem baseadas na imprensa do país. "Recebemos da comissão 79 perguntas sobre denúncias para as quais as únicas provas são resenhas dos meios de comunicação  que, como todos sabemos aqui na Venezuela, estão em sua maioria contra o presidente, disse. A informação é do jornal O Globo.