Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

24/11/2017 às 22:11

Pedro Cardoso abandona programa ao vivo da TV Brasil

Escrito por: Anderson Scardoelli
Fonte: Portal Comunique-se

Convidado a participar do ‘Sem Censura’ (TV Brasil), Pedro Cardoso abandonou o estúdio da emissora. Ator demonstrou apoio à greve na EBC
 
O ator Pedro Cardoso foi um dos convidados da edição desta quinta-feira, 23, do ‘Sem Censura’. A participação, porém, não aconteceu conforme a direção da TV Brasil esperava. Com o programa (que é ao vivo) no ar, o entrevistado se recusou a falar de seus projetos artísticos e abandonou a atração de entrevistas. Ele explicou, contudo, o motivo para o abandono.
 
A razão alegada pelo ator foi a greve em vigor por parte de funcionários  da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), mantenedora do canal público. Ao ser  interpelado pela apresentadora Katy Navarro, que está cobrindo as férias da titular Vera Barroso, Pedro Cardoso tornou público o seu apoio ao movimento grevista. Ele pediu desculpas à jornalista e aos demais convidados da atração da TV Brasil e saiu do estúdio.
 
“Peço desculpas a vocês (convidados). Peço desculpas a você (Katy Navarro), mas não vou responder essa pergunta e nenhuma outra. Quando cheguei aqui hoje, encontrei uma empresa que está em greve. E eu não participo de programas de empresas que estão em greve”, afirmou o ator. Ele tinha sido convidado pela produção do programa para falar do romance que está lançando, Livro dos Títulos.
 
Admitindo não reconhecer a negociação entre os funcionários e a direção da empresa de comunicação pública, Pedro Cardoso avaliou que, pelo que conhece do atual governo federal, os grevistas devem estar “cobertos de razão”. Ele enfatizou, porém, respeitar as pessoas que paralisaram suas atividades e quem segue trabalhando na TV Brasil e nos outros veículos mantidos pela EBC. “Não me cabe omitir opinião a respeito”, declarou o dramaturgo e escritor.
 
Crítica ao diretor-presidente da EBC
 
A greve na EBC não foi a única razão que fez Pedro Cardoso deixar o programa da TV Brasil. Sem citar o nome, ele teceu duras críticas ao diretor-presidente da empresa, o jornalista Laerte Rímoli. O ator afirmou que o executivo teve atitude inadequada contra Taís Araújo. No último domingo, 19, Rímoli compartilhou em sua página no Facebook memes ironizando a postura da atriz da TV Globo sobre o racismo. Ao palestrar no TEDx, Taís afirmou que pessoas atravessam a rua por causa da cor do seu filho. Nesta semana, Rímoli pediu desculpas à artista e à família dela, conforme registrou o site Correio, da Bahia.
 
“Soube que o presidente desta empresa aqui, que pertence ao povo brasileiro, fez comentários extremamente inapropriados a respeito do que teria dito uma colega minha onde a presença do sangue africano é visível na pele”, reclamou Pedro Cardoso ao abandonar o programa da TV Brasil. Depois do desabafo, Katy Navarro se dirigiu ao ator. A jornalista registrou: compreendia a decisão. “Respeito bastante a sua decisão. Respeito a sua saída. A gente vive numa democracia e a gente precisa respeitar a opinião de cada um”, comentou  a apresentadora.
 
Dando sentido ao nome do programa, a página do ‘Sem Censura’ no Facebook mantém no ar a íntegra do vídeo da edição desta quinta-feira. Pedro Cardoso começa a falar por volta dos 27 minutos.
 
Assista ao video: https://www.facebook.com/semcensuratv/videos/1467272920059287/
 
Mais de uma semana de greve na EBC
 
Alguns dos profissionais da EBC iniciaram a greve no dia 14 de novembro. De acordo com os sindicatos dos jornalistas de São Paulo e do Distrito Federal, os funcionários buscam melhorias salariais. As entidades defendem aumento de 4% dos vencimentos e acusam a direção da empresa de não querer dialogar sobre tal proposta. O comando da EBC, por sua vez, garante que está disposta a negociar.
 
O que diz a EBC
 
Na noite de quinta-feira, 23, a EBC falou sobre o episódio e afirmou que Pedro Cardoso expressou-se livremente no programa, sendo essa “uma postura” da EBC. “Nossa programação é a prova viva – e ao vivo – de que esta empresa de comunicação pública é plural, é democrática, acolhe a diversidade de opinião e respeita a lei, inclusive o direito de greve”.