Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

01/04/2016 às 17:03

Programa inteligente vai levar internet ultra rápida a 128 mil escolas públicas

Escrito por: Miriam Aquino
Fonte: Telesíntese

O ministro das Comunicações, André Figueiredo, anunciou hoje, 1, no Encontro Provedores Regionais Nordeste, mais alguns detalhes do programa do governo de massificação da banda larga. O programa muda de nome e tem novas metas. Ele passará a se chamar "Brasil Inteligente. Internet Ligando a gente". E terá como uma das primeiras metas ligar as 128 mil escolas públicas - urbanas e rurais - com banda larga a velocidade média de 78 Mbps.

Segundo o ministro, inicialmente, os planejamento previa alcançar  essas escolas até 2025, mas em conjunto com a presidente Dilma Rousseff decidiram antecipar as metas para até 2018.
 
”A internet rápida não é só um instrumento de acesso ao conhecimento, mas também um caminho para a redução das desigualdades das crianças e jovens das regiões Norte e Nordeste”, afirmou ele. Segundo Figueiredo,  a banda larga nas escolas terá recurso federal – da Telebras e do Ministério da Educação-, mas deverá estabelecer  alguma contrapartida dos estados e municípios.
 
Também será incluído no Programa Inteligente – que já está com a formatação concluída, conforme Figueiredo, dependendo agora apenas da agenda de Dilma para ser anunciado – a construção de dutos de internet em todas as casas da terceira etapa do programa Minha Casa Minha Vida.
 
Fundo dos Pequenos
 
Figueiredo ressaltou que o governo não pode deixar de traçar políticas diferenciadas para os pequenos provedores, que hoje representam quase 10% dos acessos de banda larga do país, e que são os desbravadores. Na política a ser anunciada em breve serã incluído também o Fundo Garantidor no valor de R$ 400 milhões , a ser lastreado por títulos da dívida pública.
 
“Precisamos quebrar a resistência dos bancos, que não aceitam a fibra óptica como garantia, enquanto os antigos cabos de cobre das concessionáris são bens reversíveis ao Estado, não dá para entender”, reclamou ele.
 
O ministro disse também estar trabalhando para que o preço de referência do poste negociado entre a Anatel e a Aneel – de R$ 3,90 – seja realmente praticado pelas concessionárias de energia, pelo menos nos rincões do país.
 
“Nós estamos construindo um país integrado. E não entregando um país, como aqueles que querem o golpe. O governo tem que promover a equidade e reduzir as desigualdades”, conclamou ele.
 
O Encontro Provedores Regionais Nordeste é promovido pela Bit Social com o patrocínio do BNDES, Fibracem, Furukawa, Mob, Telebras. Apoio da Level3, NEC, Atlântico, Cablena, Comba, SCM, DPR, Solintel, Dura-Line e Wirelink. Com o apoio da Abrint e Momento Editorial.