Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

05/11/2015 às 17:16

Receita prorroga eSocial e Serpro ganha mais R$ 5,8 milhões do Sebrae

Escrito por: Luiz Queiroz
Fonte: Convergência Digital

Não será por falta de recursos que o Serpro deixará de entregar no próximo dia 30 de novembro à Receita Federal, um sistema confiável para o eSocial. O sistema, desenvolvido pela estatal, apresentou falhas constantes e desgastou, publicamente, o Fisco, que se viu obrigado a prorrogar a data do vencimento para o pagmento dos impostos referentes às empregadas domésticas. O prazo para pagamento venceria nesta sexta-feira, dia 6 de novembro.
 
Ao que parece, no entanto, a falha do Serpro não assusta outras entidades. O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) anunciou nesta quinta-feira, 05/11, o fechamento de um contrato, no valor de R$ 5,8 milhões, para o Serpro elaborar um "Modelo de Requisitos", construção dos produtos pertencentes à primeira etapa do eSocial Web, além de execução da produção do serviço no ano de 2015". O contrato tem vigência até setembro de 2017.
 
Falhas/prorrogação
 
Até o momento, o Serpro não se pronunciou oficialmente sobre o quê aconteceu de fato nos sistema do eSocial. Depois de muita confusão, uma vez que somente 265.503 contribuintes coseguiram emitir o documento para pagamento dos impostos, o que representa 22,9% do total de empregadores, a Receita Federal acabou cedendo e prorrogou o eSocial para os empregadores domésticos, até o dia 30 de novembro.
 
"A medida permitirá que o Serpro conclua seu trabalho de saneamento dos problemas dos sistemas, oferecendo aos empregadores mais tempo e qualidade nos serviços oferecidos no site do eSocial". É o que espera o fisco, depois de ter gasto R$ 6 milhões para a estatal desenvolver um sistema, que até o momento somente apresentou falhas e dores de cabeça aos contribuintes.
 
Com o Serpro em silêncio absoluto sobre o eSocial, a partir de hoje começa a contar prazo para a empresa desenvolver algo similar para o Sebrae, que deverá oferecer aos micro e pequernos empresários essa comodidade no futuro.