Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

03/07/2015 às 14:47

Redes brasileiras sofreram o impacto do 'segundo a mais'

Escrito por: Redação
Fonte: Portal da Abranet

Apesar de os especialistas brasileiros terem afirmado que o leap second, o segundo adicionado aos relógios de todo o mundo na última terça-feira ,30/06, não deveria ocasionar grandes impactos, reportagens da Wired e da PC World, ambas dos Estados Unidos, afirmaram que houve, sim, problemas na rede mundial de computadores. 
 
A PC World noticiou ainda que a maior parte quase metade das redes afetadas estava no Brasil, algo que pode indicar que os provedores de Internet locais utilizam um tipo comum de roteador que pode não ter sido preparado para “suportar” o leap second. 
 
Citando Doug Madory, diretor de análise da Internet na Dyn, empresa que estuda o fluxo global da Internet, as publicações afirmaram que algumas das duas mil redes pararam de funcionar logo após a meia-noite no Coordinated Universal Time (UTC), 20h59 no horário de Brasília. Em seu Twitter, a Dyn escreveu que houve cinco minutos de instabilidade de roteamento global. 
 
A maioria dessas redes se recuperou rapidamente, já que provavelmente só exigiram um reboot de roteadores. A Dyn teria observado que, logo após as 20h59 no horário de Brasília, o número de mudanças na tabela de roteamento global subiu para 800 mil por 30 segundos. Mudanças nas conexões entre redes são anunciadas pelos provedores que usam BGP (Border Gateway Protocol) e propagam por meio da Internet para outros provedores. 
 
Desde o começo do ano, especialistas no assunto vêm alertando as empresas sobre possíveis problemas computacionais ocasionados por este um segundo a mais. Em janeiro, em uma entrevista à Abranet, Antonio M. Moreiras, gerente da área de projetos do NIC.br, explicou que falhas em transações financeiras e problemas em sistemas mais críticos teriam probabilidade baixa de ocorrer, mas não deveriam ser descartados. Contatado pela redação, Moreiras declinou, por falta de agenda, o pedido de entrevista para comentar o assunto. Também não foi divulgada nenhuma nota oficial do NIC.br sobre os impactos do Leap Second no tráfego Internet brasileiro.