Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

26/08/2014 às 09:30

Redes sem fio crescem 30% e impõem reciclagem de switches e routers

Escrito por: Redação
Fonte: ABINEE

Redes sem fio crescem 30% e impõem reciclagem de switches e routers

Convergência Digital - 25/8/2014

Nos últimos 12 meses, houve um crescimento contínuo no segmento de negócios sem fio, além de uma evolução na infraestrutura de mudança de acesso para suportar a conectividade wireless. O aumento foi de aproximadamente 30%. A porcentagem de gigabits de acesso também aumentou, de um terço, de todas as portas no último ano, para quase metade, cerca de 45%, este ano.

O crescimento também ocorreu na porcentagem de switches que suportavam uplinks, passando de 10 gigabits cresceram de 11% para 23%. Esses dados acabam de ser publicados no Network Barometer Report 2014,da Dimension Data. O relatório foi compilado a partir de dados reunidos em 288 avaliações tecnológicas que cobriram 74 mil dispositivos, instalados em organizações de todos os portes e os setores das indústrias em 32 países.

As informações foram coletadas a partir de 91 mil incidentes registrados nas redes de suporte aos clientes da Dimension Data.O levantamento mostra que, enquanto as organizações continuam a investir em conectividade onipresente na porta de suas redes, elas também começam a investir na infraestrutura de rede de acesso para suportar essa conexão sem fio. Segundo Raoul Tecala, diretor de Desenvolvimento de Negócios para Redes da Dimension Data, o relatório Barômetro do ano passado apontou que a mobilidade empresarial dependeria de uma evolução na arquitetura de comutação de acesso à rede, migrando de grande parte cabeada para majoritariamente sem fio.

"Comprovamos que houve um aumento muito menor na porcentagem de portas que suportam o power-over-Ethernet, de pouco menos da metade no passado para pouco mais da metade neste ano", afirma. O diretor de Desenvolvimento de Negócios de Redes da Dimension Data acresenta que a maior parte das atualizações de switch de acesso ocorre onde o dispositivo instalado ainda tem vários anos restantes em seu ciclo de vida.

Tecala comenta que as organizações tendem a estender o uso de seus ativos de rede pelo maior tempo possível parar diminuir custo e só atualizam suas redes quando novos recursos específicos tornam-se imprescindíveis. "Se a empresa exige maior volume de banda para suportar a conectividade sem fio permanente, em função dos novos dispositivos móveis trazidos para os locais de trabalho pelos funcionários, eles não têm escolha a não ser atualizar os equipamentos mais cedo", explica Tecala.

Para conferir infográfico do Network Barometer Report 2014, acesse - http://www.dimensiondata.com/Global/Global-Microsites/Pages/Network-Barometer-2013/index.html

- 25/8/2014