Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

02/02/2018 às 19:05

Série 'Um Mundo de Muros', da Folha de S.Paulo vence prêmio internacional

Escrito por: Redação
Fonte: Portal Imprensa

A série de reportagens “Um Mundo Sem Muros”, publicada pela Folha de S.Paulo, em junho a setembro do ano passado, venceu os Prêmios Internacionais de Jornalismo Rei da Espanha, na categoria Jornalismo Digital.
 
Em decisão unânime, o júri destacou ainda o uso dos conteúdos 360º e dos drones, o que representou um adicional a respeito dos outros candidatos. Segundo eles, o trabalho é "uma denúncia do aumento das barreiras físicas que nos separam em uma sociedade cada vez mais interconectada." 
 
 
"Um mundo de muros" foca na construção de muros em diferentes lugares do mundo e suas consequências no dia a dia para emigrantes, refugiados e pessoas com menor poder aquisitivo, bem como nas áreas afetadas por outros motivos.
 
A equipe de reportagem do trabalho ganhador viajou para quatro continentes - Ásia, América, Europa e África - para mostrar o que ou quem está por trás desses muros. Os responsáveis pelo projeto foram Angelo Dias, Avener Prado, Daigo Oliva, Diogo Bercito, Edson Sales, Fabiano Maisonnave, Irapuan Campos, Isabel Fleck, José Henrique Mariante, Kleber Bonjoan, Lalo de Almeida, Luciana Coelho, Marcelo Pliger, Patricia Campos Mello, Renan Marra, Roberto Dias, Rogério Pilker, Rubens Alencar, Simon Ducroquet, Thea Severino, Thiago Almeida e Victor Parolin.
 
Essa foi a quarta vez que a Folha de S.Paulo venceu o prêmio. O primeiro, foi em 1987, na categoria jornal impresso, com reportagem de Janio de Freitas sobre irregularidades na construção da ferrovia Norte-Sul (clique aqui para conferir).
 
Em 1993, Pisco del Gaiso, venceu na categoria fotografia com um registro de uma índia da tribo dos Guajás amamentando um porco do mato (confira aqui). Já em 1997, Moacyr Lopes Junior, venceu a categoria fotografia com imagem que mostrava a violência policial contra adolescente em São Paulo (acesse aqui). 
 
Os Prêmios Internacionais de Jornalismo Rei da Espanha têm como objetivo reconhecer o trabalho informativo dos profissionais de jornalismo dos idiomas espanhol e português dos países que integram a Comunidade Ibero-Americana de Nações e aqueles com os quais a Espanha tem vínculos de natureza histórica e cultural. São concedidos anualmente desde 1983, quando foram criados pela Agência EFE e a Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID).
 
Em sua trajetória, os Prêmios Internacionais de Jornalismo Rei da Espanha incorporaram novos valores. Os prêmios reconhecem não só a qualidade dos trabalhos publicados que contribuam para a comunicação e o mútuo conhecimento entre os povos ibero-americanos e aqueles com os quais a Espanha tem laços históricos e culturais, mas também os trabalhos relacionados com o meio ambiente e o desenvolvimento sustentável - essenciais para a sobrevivência do planeta e a evolução rumo a um desenvolvimento inclusivo, sustentável e igualitário - e a solidariedade, enfatizando o componente social e a comunidade global.
 
Confira os vencedores:
 
Jornal impresso: Alicia Hernándes Sanches, do The New York Times, por reportagem sobre tráfico de gasolina em Guajira (confira aqui)
 
Fotografia: Santiago Saldarriaga Quintero, do El Tiempo (Colômbia), com imagem de avalanche de lama no interior do país (confira aqui)
 
Televisão: Alexánder Rivera González, da Televisora de Costa Rica-Teletica Canal 7, sobre os efeitos do furacão Matthew no Haiti.
 
Rádio: Rute Isabel da Silva Fonseca, da TSF Notícias (Portugal), com reportagem sobre uma família portuguesa fabricante de violinos (confira aqui)
 
Meio de Comunicação em Destaque: El País (Espanha)
 
Prêmio Ibero Americano de Jornalismo: Juan Roberto Mascardi Vigani, do La Voz Interior (Argentina), com texto sobre um jogador de futebol
 
Prêmio Dom Quixote de Jornalismo: Fernado Aramburu, escritor e articulista espanhol
 
Prêmio Especial de Jornalismo Ambiental e Desenvolvimento Sustentável: Julio Batista Rodriguez, com texto sobre a poluição da enseada de Chipriona, em Cuba.