Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

03/02/2014 às 14:22

Setor audiovisual quer remuneração para filmes que vão à Cannes

Escrito por: Redação
Fonte: Adnews

Entidades do setor audiovisual emitiram carta aberta para agências e anunciantes sobre a produção de filmes publicitários para o Festival de Cannes. Todo ano, produtoras disponibilizam seus equipamentos, estúdios e serviços gratuitamente para a produção de filmes que são colocados em competição no evento. Porém, agora, as associações estão orientando seus associados a não aceitarem mais este tipo de trabalho sem que haja remuneração pela produção realizada.

Assinam o comunicado a Associação Brasileira das Empresas Locadoras de Equipamentos e Serviços Audiovisuais (ABELE), Assistentes de Câmera Associados do Estado de São Paulo (ACASP), Associação Brasileira da Produção de Obras Audiovisuais (APRO), Associação dos Técnicos em Iluminação e Maquinaria (ASTIM), Sindicato da Indústria Audiovisual do Estado de São Paulo (SIAESP), Sindicato dos Trabalhadores na Indústria Cinematográfica e do Audiovisual (SINDCINE), Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversão de São Paulo (SATED) e União dos Diretores de Fotografia de São Paulo (UDFSP).

Segundo a carta assinada pelas oito entidades, a nova lei das TV's a cabo, a Copa do Mundo da FIFA e as eleições presidenciais irão manter produtoras, equipes, elenco e infraestrutura muito ocupadas durante o ano de 2014. Outras questões levantadas no comunicado são a alta do dólar, os impostos, a inflação e os demais componentes do "custo Brasil", que contribuíram para uma elevação dos custos de produção e vem tornando cada vez mais difícil que empresas e profissionais cedam gratuitamente tempo e equipamentos para realizar produções com foco em festivais.

As associações ressaltam, no entanto, que os associados continuarão colaborando com a produção de filmes beneficentes ou filantrópicos, desde que tenham sido devidamente encomendados por ONG's ou entidades sem fins lucrativos e que estejam destinados a veiculação gratuita pelas emissoras em campanhas de cunho social.

Redação Adnews