Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

23/09/2015 às 13:57

Velocidade média da Internet no Brasil é de 3,6 Mbps

Escrito por: Luís Osvaldo Grossmann
Fonte: Convergência Digital

Novo relatório trimestral da Akamai, empresa especializada em serviços de nuvem e redes de entrega de conteúdo (CDNs), indica que a velocidade média da internet no Brasil cresceu no segundo trimestre de 2015 e passou de 3,4 Mbps para 3,6 Mbps. Melhor ainda, o aumento chega a 25% na comparação com um ano antes.
 
Esse desempenho, porém, não impediu a queda no ranking elaborado pela Akamai e que reúne entre 110 e 144 países (a depender da comparação anual ou trimestral). No acompanhamento trimestre a trimestre (144 países), o Brasil passou de 89ª para 90º.
 
Em relação à média de picos de conexão, o Brasil registrou 27 Mbps, aumento trimestral de 12% e de 32% em relação ao último ano. Nesse caso, diferentemente da velocidade média, o país subiu da 82ª para 80ª posição no ranking global de picos de conexão.
 
O levantamento indica ainda que no Brasil, uma página da web é carregada em 6416 milissegundos com o uso de banda larga fixa. O desempenho é um pouquinho pior nas conexões móveis, com tempo médio de abertura de um site em 7324 ms.
 
No panorama geral, no segundo trimestre de 2015 a média global de velocidade de conexão manteve-se superior à considerada banda larga pela Akamai (4 Mbps), com 5,1 Mbps, e apresentou crescimento de 3,5% em relação aos três meses anteriores. A Coréia do Sul continua líder, com média de 23,1 Mbps.
 
Três asiáticos dominam o topo do ranking – além da Coreia, Hong Kong, com 17 Mbps; e Japão, com 16,4 Mbps. Os sete países seguintes, completando os 10 melhores colocados, são todos europeus: Suécia (16,1 Mbps), Holanda (15,2), Noruega (14,3), Latvia (14,2), Finlândia (14) e a República Tcheca (13,9).
 
Na América Latina, a velocidade média variou de 5,9 Mbps, no Uruguai, a 1,5 Mbps, no Paraguai. No ranking global, os países estão na 59ª; e 137ª colocação, respectivamente. Portanto, em 89º, o Brasil vê Uruguai, Chile, México, Argentina e Peru à frente. Costa Rica, Bolívia, Venezuela e Paraguai abaixo.
 
Quanto à adoção do IPv6, a Bélgica manteve sua liderança, com 38% de suas conexões à Akamai feitas por meio do protocolo. Os dois únicos países não europeus entre os Top 10 de adoção foram os EUA e Peru, sendo 19%; e 17%, respectivamente. 
 
O Brasil aparece em 20o, com 4,2% do tráfego em IPv6. No país, as empesas Net (com 6,7% do tráfego em IPv6) e GVT (3,4%) aparecem na listagem dos 20 maiores provedores de conexão por tráfego pelo novo protocolo. Teles americanas como Comcast (37%) e AT&T (35%) e a móvel Verizon (com 71% do tráfego em IPv6), lideram.