Receba no seu e-mail

Voltar

E-Fórum / Notícias

11/04/2015 às 10:05

Ato cultural na Praça da Liberdade abre o 2º ENDC

Escrito por: Felipe Bianchi, do Barão de Itararé para o FNDC

Música, dança e muita cultura popular marcaram a abertura do evento e levaram a pauta da democratização da comunicação ao grande público

Música, dança e manifestações populares marcaram, na sexta-feira (10/4), a abertura do 2º Encontro Nacional pelo Direito à Comunicação (ENDC), em Belo Horizonte-MG. O Ato Cultural pela Liberdade de Expressão aconteceu na Praça da Liberdade, que ficou pintada de povo no ‘esquenta’ para um dos principais eventos de 2015 na agenda da luta pela democratização da comunicação.

Do coreto, Luna Matos, vocalista e violonista do grupo Caribe-Brasilis, exaltou a iniciativa. Para ela, a luta pela ampliação da liberdade de expressão para todos e todas é fundamental para a consolidação da democracia. “Temos que lutar por liberdade de expressão e nunca aceitar a censura imposta pela mídia”, disse. “A mídia brasileira é extremamente conservadora, por isso a importância da luta por uma mídia democrática”.

Alvaro Augusto Zulu, dos grupos Afoxé Mundo Negro e Samba do Operário, também registrou sua opinião. “Regular o espectro eletromagnético é, também, combater a negação do negro na mídia, o machismo e a homofobia, socializando mais do que a versão única dos meios monopolistas”.

Além desses três grupos, também se apresentaram as Meninas de Sinhá (com a participação de Joaci Ornelas), o DJ Anônimo, a Trupe Sonora e a banda Cáustica. Em meio à diversidade de ritmos, um ponto em comum: a forte presença de elementos regionais, tão raros nos grandes meios de comunicação.

No sábado, o #2ENDC prossegue com uma série de debates sobre temas como regulação da mídia, a luta pela democratização da comunicação na América Latina e a Internet como direito fundamental. Além disso, também acontecerão atividades autogestionadas sobre temas diversos.

- Confira a programação completa aqui