Receba no seu e-mail

Voltar

E-Fórum / Notícias

30/05/2018 às 17:22

FNDC apoia ação da UNEGRO contra Rede Globo

Escrito por: FNDC

A ação denuncia o baixo número de atores e atrizes negros na telenovela ?Segundo sol?, trama global ambientada na Bahia, estado cuja maioria da população é negra

O Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) manifesta seu apoio à Ação Civil Pública (ACP) movida pela União de Negros pela Igualdade (Unegro) contra a Rede Globo pela subrepresentação de negros na nova novela das 9. A ação denuncia o baixo número de atores e atrizes negros na telenovela “Segundo sol”, trama global ambientada na Bahia, estado cuja maioria da população é negra, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE).

Como destaca a Unegro na ACP, a disparidade atinge frontalmente os princípios dacidadania e da dignidade da pessoa humana determinados na Constituição Federal, bem como o Estatuto da Igualdade Racial. O artigo 3º da Constituição estabelece que, entre os objetivos da República estão a construção de uma sociedade livre, justa e solidária, a erradicação da pobreza e da marginalização, a redução das desigualdades sociais e a promoção do bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação. Já o Estatuto da Igualdade Racial define discriminação racial ou étnico-racial como “toda distinção, exclusão, restrição ou preferência baseada em raça, cor, descendência ou origem nacional ou étnica que tenha por objeto anular ou restringir o reconhecimento, gozo ou exercício, em igualdade de condições, de direitos humanos e liberdades fundamentais nos campos político, econômico, social, cultural ou em qualquer outro campo da vida pública ou privada”.

O FNDC tem apontado a questão da sub-representação de negros e negras na radiodifusão brasileira há alguns anos, tanto na teledramaturgia, quanto no jornalismo, nos programas esportivos e de entretenimento. Além da baixa representação, denunciamos a posição de inferioridade com o qual a população negra é retratada — sempre em papel subalternos, ou na condição de inferioridade, na cobertura jornalística raramente aparecem como fontes de especialistas, como comentaristas.

A luta do FNDC contra o oligopólio de comunicação é, também, a luta contra a falta de representatividade da TV — uma das faces perversas de todas as formas de preconceitos — e em defesa da pluralidade, da diversidade e da igualdade de direitos. Por isso, o FNDC se une à Unegro na denúncia e na exigência de representatividade para negros e negras na programação da Rede Globo.

São Paulo, 28 de maio de 2018

Executiva do FNDC