Receba no seu e-mail

Voltar

E-Fórum / Notícias

16/09/2015 às 08:53

FNDC divulga nota de apoio aos servidores da Comunica UFRN

Escrito por: Redação

Trabalhadores denunciam desmonte da comunicação pública, falta de condições de trabalho, perseguições e censura aos veículos públicos gerenciados pela Universidade

A Coordenação Executiva do FNDC aprovou, nesta terça-feira (15/9), nota de apoio aos servidores da Superintendência de Comunicação (Comunica) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). A categoria denunciou, em carta aberta divulgada recentemente pelo Fórum de Servidores da Comunica, que a gestora da rádio e TV Universitária tem perseguido e desrespeitado os profissionais que buscam debater a gestão, promovido censura e cometido falhas administrativas que têm resultado no sucateamento das emissoras e no desmonte dos processos de trabalho da TVU.
 
Os veículos enfrentam vários problemas, como extinção de programas que promoviam a divulgação científica, a cultura musical popular e a diversidade de práticas desportivas. Na TVU, os programas gravados em estúdio estão suspensos há mais de oito meses porque falta um ar condicionado. Ainda segundo a denúncia dos trabalhadores, a Comunica censurou matérias jornalísticas sobre uma mobilização dos estudantes do curso de Direito e uma reportagem que apurava denúncia do Sindicato dos Trabalhadores em Educação contra a Secretaria Estadual de Educação, em 2012 e 2013, respectivamente.
 
Ao todo, a carta aberta pontua 15 denúncias que envolvem desde questões éticas e administrativas, censura e sucateamento, até a suspensão de projetos. O documento também traz 13 revindicações, como a valorização do caráter público das emissoras, instalação imediata do Conselho Consultivo da Comunica, alteração no Regimento Interno da Comunica para garantir espaços democráticos de diálogo na gestão interna, criação de um Conselho de Gestão Participativa, de comissões internas para definição da política editorial e dos eixos norteadores da programação e de uma ouvidoria, entre outras. 
 

NOTA DE APOIO AOS/ÀS TRABALHADORES/AS DA COMUNICAÇÃO PÚBLICA DO RIO GRANDE DO NORTE

O Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) apoia a atuação dos/as servidores/as da Superintendência de Comunicação, gestora das emissoras de Rádio e TV Universitárias de Natal, além da Agência de Comunicação da UFRN, na defesa da comunicação pública.
 
Em um momento em que o país propõe o fortalecimento de políticas públicas de comunicação e em que a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) discute o seu modelo institucional, é inaceitável que uma universidade pública atue na contramão desse esforço.
 
Os/as servidores/as denunciam o desmonte da comunicação pública, a falta de condições de trabalho, as perseguições e à censura aos veículos públicos gerenciados pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Recentemente, o problema foi denunciado em carta aberta à reitoria e à sociedade, na qual foram cobradas mais democracia e participação social na gestão da comunicação da universidade. 
 
A Rádio Universitária FM, em seus 14 anos de existência, e a TV Universitária, no ar há 42 anos, são o embrião fundamental do sistema público de comunicação no Rio Grande do Norte. São as únicas emissoras abertas que podem se contrapor ao monopólio midiático privado que domina a paisagem comunicacional do estado, e que se repete em boa parte das cidades brasileiras.
 
Acreditamos que é fundamental que a reitoria reconheça o caráter público das duas emissoras, democratizando a gestão dos veículos e garantindo a participação da comunidade nas definições de sua gestão.
 
Pelas suas características constitutivas e missão pedagógica e transformadora, a universidade pública deve ter um compromisso ético com a criação de um ambiente midiático que não reproduza as distorções históricas da comunicação privada brasileira.
 
Para isso, deveria servir de referência, fazendo de seus veículos de comunicação o exemplo no qual a sociedade deve se pautar, ao contrário de simplesmente reproduzir relações de poder verticalizadas, que desprezam a participação da própria comunidade acadêmica e, de maneira mais ampla, excluem a contribuição da sociedade civil.
 
Brasília, 15 de setembro de 2015.
 
Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação
 
 

Leia também
 
>> Carta Aberta dos Servidores da Comunica à Reitora Ângela Paiva e à Comunidade Universitária e à Sociedade