Receba no seu e-mail

Voltar

E-Fórum / Notícias

08/09/2015 às 15:41

Frente Brasil Popular lança Manifesto ao Povo Brasileiro

Escrito por: Redação/Foto: Isis Medeiros, site Minas Melhor

Documento reivindica reformas estruturais e a democratização da comunicação, entre outros pontos. Primeira ação concreta da Frente será o Dia Nacional de Mobilização, 3 de outubro

Lançada no último sábado (5/9), em Belo Horizonte, a Frente Brasil Popular divulgou, nesta terça (8/9), o Manifesto ao Povo Brasileiro. No documento, as organizações defendem os direitos da classe trabalhadora e a democracia, rechaçam o ajuste fiscal e reivindicam outra política econômica, além de reformas estruturais do Estado, política, do poder Judiciário, da segurança pública, urgana, agrária, e a democratização dos meios de comunicação e da cultura, entre outros pontos.
 
Mais de duas mil pessoas de todo o país participaram da Conferência Nacional Popular, realizada na Assembléia Legislativa de Minas Gerais. Convocada pelos movimentos sociais (sem terra, sem teto, negros, mulheres, estudantes, LGBT etc.), sindicatos, partidos políticos e intelectuais que articularam a formação da Frente, a Conferência aprovou a realização de um Dia Nacional de Mobilização, a ser realizado no dia 3 de outubro. No encontro, também foi construído o Cordel da Frente Brasil Popular, poesia coletiva construída durante a conferência. 
 
>> Leia aqui o Cordel
 
Quem participa
 
CUT, sindicatos cutistas e movimentos sociais em Minas Gerais, CTB, MST, Via campesina, MPA, MMC, MAB, MAM, MCP, FUP (Federação Única dos Petroleiros), CONEN, UNE, Levante Popular da Juventude, FNDC (Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação), Consulta Popular, Marcha Mundial das Mulheres, Rede de Médicas/os Populares, Associação de Juízes pela Democracia, RENAP, SENGE-Rio, Sindicato de Professores, Metalúrgicos do RS, Pastorais Sociais, igrejas, Central de Movimentos Populares-CMP; parlamentares e dirigentes de diversos partidos e correntes partidárias, entre os quais o PT, o PCdoB, o PSB e o PDT. Também participam diversos intelectuais e jornalistas que atuam em diferentes espaços da mídia popular e que compartilham desse esforço.
 
 

“Frente Brasil Popular: Manifesto ao Povo Brasileiro

Vivemos um momento de crise. Crise internacional do capitalismo, crise econômica e política em vários países vizinhos e no Brasil.
 
Correm grave perigo os direitos e as aspirações fundamentais do povo brasileiro: ao emprego, ao bem-estar social, às liberdades democráticas, à soberania nacional, à integração com os países vizinhos.
 
Para defender nossos direitos e aspirações, para defender a democracia e outra política econômica, para defender a soberania nacional e a integração regional, para defender transformações profundas em nosso país, milhares de brasileiros e brasileiras de todas as regiões do país, cidadãos e cidadãs, artistas, intelectuais, religiosos, parlamentares e governantes, assim como integrantes e representantes de movimentos populares, sindicais, partidos políticos e pastorais, indígenas e quilombolas, negros e negras, LGBT, mulheres e juventude, realizamos esta Conferência Nacional onde decidimos criar a Frente Brasil Popular.
 
Nossos objetivos são:
 
1- Defender os direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras: melhorias das condições de vida, emprego, salário, aposentadoria, moradia, saúde, educação, terra e transporte público!
 
Lutamos contra o atual ajuste fiscal e contra todas as medidas que retiram direitos, eliminam empregos, reduzem salários, elevam tarifas de serviços públicos, estimulam a terceirização, ao tempo em que protegem a minoria rica. Defendemos uma política econômica voltada para o desenvolvimento com distribuição de renda.
 
Lutamos contra a especulação financeira nacional e internacional, que transfere para uma minoria, por vias legais ou ilegais, através da corrupção e de contas bancárias secretas, parte importante da riqueza produzida pelo povo brasileiro!
 
Lutamos por uma reforma tributária que – por meio de medidas como o imposto sobre grandes fortunas e a auditoria da dívida – faça os ricos pagarem a conta da crise.
 
2.Ampliar a democracia e a participação popular nas decisões sobre o presente e o futuro de nosso país.
 
Lutamos contra o golpismo – parlamentar, judiciário ou midiático – que ameaça a vontade expressa pelo povo nas urnas, as liberdades democráticas e o caráter laico do Estado!
 
Lutamos por uma reforma política soberana e popular, que fortaleça a participação direta do povo nas decisões políticas do País, garanta a devida representação dos trabalhadores, negros e mulheres, impeça o sequestro da democracia pelo dinheiro e proíba o financiamento empresarial das campanhas eleitorais!
 
Lutamos contra a criminalização dos movimentos sociais e da política, contra a corrupção e a partidarização da justiça, contra a redução da maioridade penal e o extermínio da juventude pobre e negra das periferias, contra o machismo e a homofobia, contra o racismo e a violência que mata indígenas e quilombolas!
 
3. Promover reformas estruturais para construir um projeto nacional de desenvolvimento democrático e popular: reforma do Estado, reforma política, reforma do poder judiciário, reforma na segurança pública com desmilitarização das Polícias Militares, democratização dos meios de comunicação e da cultura, reforma urbana, reforma agrária, consolidação e universalização do Sistema Único de Saúde, reforma educacional e reforma tributária!
 
Lutamos pela democratização dos meios de comunicação de massa e pelo fortalecimento das mídias populares, para que o povo tenha acesso a uma informação plural, tal como está exposto na Lei da Mídia Democrática.
 
4.Defender a soberania nacional: o povo é o dono das riquezas naturais, que não podem ser entregues às transnacionais e seus sócios!
Lutamos em defesa da soberania energética, a começar pelo Pré-Sal, a Lei da Partilha, a Petrobrás, o desenvolvimento de ciência e tecnologia, engenharia e de uma política de industrialização nacional!
 
Lutamos em defesa da soberania alimentar e em defesa do meio ambiente, sem o qual não haverá futuro.
 
Lutamos contra as forças do capital internacional, que tentam impedir e reverter a integração latino-americana.
 
Convidamos a todas e a todos que se identificam com esta plataforma a somar-se na construção da Frente Brasil Popular.
 
O povo brasileiro sabe que é fácil sonhar todas as noites. Difícil é lutar por um sonho. Mas sabe, também, que sonho que se sonha junto pode se tornar realidade.
 
Vamos lutar juntos por nossos sonhos!
 
Viva a Frente Brasil Popular!
 
Viva o povo brasileiro!
 
Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, setembro de 2015″